ENEM PPL 2020 é aplicado em casas penais do Estado

23/02/2021 17h43 - Atualizada em 23/02/2021 18h08
Por Vanessa Van Rooijen (SEAP)

A aplicação do Exame Nacional de Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade (ENEM PPL 2020) foi iniciada nesta terça-feira (23) em várias unidades penitenciárias do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). No total, 1.441 internos do Estado se inscreveram para prestar o exame em busca do ensino superior. Só no Presídio Estadual Metropolitano II (PEM II), 114 pessoas privadas de liberdade fizeram a prova para garantir um futuro de vida melhor. O objetivo da Diretoria de Reinserção Social da Seap é que esse número cresça.

O ENEM é uma etapa fundamental para qualquer brasileiro que queira alcançar o ensino superior no curso que sonha seguir profissionalmente. Para o público privado de liberdade, além de conseguir alcançar o curso desejado, é também uma nova visão de vida em um futuro longe da criminalidade por meio da educação e do trabalho. 

A primeira etapa do exame é composta por matérias relacionadas a Fundamentos de Humanas, ocorrida nesta terça-feira.  Na quarta-feira (24) será finalizado o processo de 2020 com as questões de Exatas, como matemática.  Segundo a técnica de reinserção social do PEM II, Karin Monteiro, a realização do ENEM nas unidades penais é o caminho para que esse público possa concluir e aumentar os níveis de educação, além de ter a oportunidade de conseguir uma vaga na universidade e ter uma profissão formal. “Durante a aplicação da prova, os internos se comportaram muito bem e estavam muito ansiosos porque eles esperaram o ano inteiro por este momento”, celebra.

Para o interno Rafael de Castro, é uma realização poder prestar o Enem. “Nesse exame eu vou poder testar os meus conhecimentos e quem sabe conseguir uma vaga para cursar Inglês”, afirma.

Além dele, o interno Renato Gemaque também celebra a participação no exame, visto que dessa forma a sua contribuição na sociedade passará a ser positiva, longe da criminalidade. “Quero mudar de vida na base dos estudos. Meu sonho é cursar História”, finaliza.

De acordo com o diretor de Reinserção Social da Seap, Belchior Machado, é gratificante o sistema penal conseguir realizar a aplicação do ENEM, mesmo com as dificuldades durante a pandemia da Covid-19. “Sabemos que esse exame se apresenta aos custodiados como uma perspectiva de futuro longe da criminalidade, com a possibilidade de cursarem o ensino superior, e depois exercerem suas profissões”. Ainda de acordo com o diretor, é na educação que os custodiados fortalecem muitos sonhos em busca de uma vida melhor.