Pará se mantém na 3ª posição do ranking de isolamento nessa sexta-feira (22)

Com o índice de 47,1%, o Estado fica atrás de Amapá (54,3%) e Acre (47,9%), que também cumprem lockdown

23/05/2020 14h29
Por Aline Saavedra (SEGUP)

O Pará permaneceu na 3ª colocação no ranking nacional de isolamento social nesta sexta-feira (22), com o índice de 47,1%, ficando atrás de Amapá (54,3%) e Acre (47,9%), estados que também estão cumprindo lockdown. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), por meio da Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (Siac). Todas as unidades da federação continuam não atingindo a taxa recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que indica o mínimo de 70%, para que possa diminuir o número de infectados pelo novo coronavírus. 

O Secretário de Segurança Pública Ualame Machado enfatiza que o Estado, assim como as demais unidades da federação, precisa melhorar os índices para combater a pandemia e evitar que mais pessoas possam adoecer. “Nós continuaremos com o planejamento operacional até o último dia de lockdown, mas ressalto que o término não significa relaxar nas medidas. É necessário que todos obedeçam ao que pedem os organismos de saúde, como a utilização de máscaras, manter a distância mínima de 1,5 metro, e só sair de casa quem realmente precisa”, pontuou.

Penalidades - De 00h01 às 23h59 da sexta-feira (22), 530 multas foram aplicadas por desobediência ao lockdown, sendo 518 para pessoas físicas e 12 para pessoas jurídicas. Belém registrou o maior número de ocorrências, totalizando 176 multas.

Do domingo (10) até essa sexta-feira (22), 4.819 multas já foram aplicadas para quem foi identificado circulando em vias públicas sem necessidade comprovada.

Municípios – De acordo com o levantamento, ao analisar as cidades paraenses, os três melhores índices de isolamento na sexta-feira (22) foram nos municípios de: Anajás (65,7%), Peixe-Boi (63,9%) e Portel (62,2%). Já os piores índices foram registrados em Faro (29,5%), Cumaru do Norte (31,1%) e Santana do Araguaia (31,7%).

Em Belém, incluindo os distritos, os bairros com as maiores taxas de pessoas em casa foram: Mangueirão (62,5%), Natal do Murubira (64,3%) e Maracacuera (72%). Já onde as pessoas desobedeceram a recomendação de ficar em casa, registrando um baixo índice de isolamento, foram: Curió-Utinga (13,8%), Água Boa (30,6%) e Carananduba (30,8%).

Em Ananindeua, os melhores índices foram registrados nos bairros Cidade Nova VIII (53,7%), Júlia Seffer (54,1%) e Cidade Nova III (54,6%). Já os piores índices observados foram nos bairros Distrito Industrial (29,5%), Icuí-Laranjeira (36,4%) e Heliolândia (37,1%).

Nas 16 cidades onde ocorre o lockdown, os índices foram: Belém (48,5%), Ananindeua (46,8%), Marituba (43,7%), Santa Izabel (45,3%), Santa Bárbara (43,9%), Benevides (44,4%), Castanhal (46,0%), Vigia (44,5%), Santo Antônio do Tauá (44,4%), Breves (52,3%), Abaetetuba (50,8%), Parauapebas (48,4%), Cametá (53,8%), Capanema (53,8%), Santarém (50,1%), Canaã dos Carajás (43,8%).

Serviço: A porcentagem de isolamento dos 144 municípios paraenses e o monitoramento completo estão disponíveis em um espaço exclusivo sobre os índices no site da Segup.

Índices de isolamento por bairro em Belém na sexta-feira (22):
Melhores: Mangueirão (62,5%), Natal do Murubira (64,3%) e Maracacuera (72%).
Piores: Curió-Utinga (13,8%), Água Boa (30,6%) e Carananduba (30,8%).

Índices de isolamento por bairro em Ananindeua na sexta-feira (22):
Melhores: Cidade Nova VIII (53,7%), Júlia Seffer (54,1%) e Cidade Nova III (54,6%)
Piores: Distrito Industrial (29,5%), Icuí-Laranjeira (36,4%) e Heliolândia (37,1%).

Confira o índice de isolamento social nos 16 municípios onde está ocorrendo o lockdown:
Belém (48,5%)
Ananindeua (46,8%), 
Marituba (43,7%),
Santa Izabel (45,3%), 
Santa Bárbara (43,9%),
Benevides (44,4%), 
Castanhal (46,0%), 
Vigia (44,5%), 
Santo Antônio do Tauá (44,4%), 
Breves (52,3%), 
Abaetetuba (50,8%),
Parauapebas (48,4%), 
Cametá (53,8%), 
Capanema (53,8%), 
Santarém (50,1%), e 
Canaã dos Carajás (43,8%).