Estado garante apoio a mutirão de cirurgia para correção de lábio leporino

10/10/2019 18h18 - Atualizada em 11/10/2019 09h11
Por Laíse Coelho (SECOM)

Voluntários, autoridades e crianças beneficiadas pela Operação Sorriso em SantarémPela primeira vez em 14 anos, o Governo do Pará é parceiro da Operação Sorriso, uma ONG internacional que promove mutirões de cirurgia para a correção de lábios leporinos ou fenda palatina. A ação realizada em Santarém, no oeste paraense, já beneficiou centenas de adultos e crianças, entre as quais o menino Guilherme, 3 anos, que nasceu com lábios leporinos. A mãe da criança, Rosemar Veiga, residente no município de Altamira, quando soube que o projeto seria realizado em Santarém, não perdeu a oportunidade de dar um novo sorriso ao filho.

“Eu só tenho agradecer a oportunidade de ver esse novo sorriso lindo no rosto do meu filho. Fico emocionada em ver a perfeição da cirurgia dele. Estou muito feliz com o atendimento”, afirmou Rosemar Veiga.

Os integrantes da ONG internacional viajam por vários países promovendo mutirões de cirurgias de correção. A entidade atua em aproximadamente 60 países. No Brasil, o projeto já é realizado há 22 anos, tendo operado quase 6 mil pessoas. Esta é a 14ª edição da Operação Sorriso em Santarém, e pela primeira vez tem o apoio do governo do Estado. A solicitação de parceria foi apresentada durante o Governo Itinerante em Santarém, e prontamente atendida.

A primeira-dama Daniela Barbalho foi ver de perto o trabalho da ONG internacionalA primeira-dama do Pará, Daniela Barbalho, esteve nesta quinta-feira (10), no hospital, para acompanhar os atendimentos oferecidos no mutirão. “Essas cirurgias trazem saúde, qualidade de vida e o resgate dessas crianças. Então, ter o Estado presente e parceiro da ONG Projeto Sorriso é muito importante. A gente só quer fortalecer e levar para todo o Pará”, afirmou Daniela Barbalho.

As cirurgias foram iniciadas na quarta-feira (9) e prosseguem até sábado (12), no Hospital Sagrada Família, da Rede São Camilo. Para realizar a operação, as equipes fazem uma triagem. Os pacientes passam por uma avaliação gratuita em sete especialidades médicas e, ao final do dia, os médicos selecionam quem está apto para ser operado, entre crianças e adultos.

Acompanhamento - A estimativa é que, até o final da semana, sejam realizadas 67 cirurgias. Só nesta quinta-feira (10) foram feiras 20 correções. Após a cirurgia, o paciente continua sendo acompanhado por uma equipe multiprofissional, também apoiada pelo governo do Estado. “Garantimos, primeiramente, as internações para todos os pacientes e o apoio no acompanhamento do pós-operatório de várias formas. Por exemplo, com o tratamento ortodôntico, trabalhando junto com a Operação Sorriso”, disse a coordenadora de Saúde Bucal da Sespa, Alessandra Amaral.

O diretor executivo da Operação Sorriso no Brasil, Charles Rosenburst, ressaltou a importância da parceria para os atendimentos. “É fundamental o apoio do Estado, porque o trabalho que a gente faz em Santarém não é só pra cidade; nós atendemos todo o oeste do Pará. A participação do governo é fundamental para que a gente possa dar continuidade a esses atendimentos”, destacou Charles Rosenburst.

A filha da doméstica Jeniffer Maísa é uma das pacientes oriundas de outras cidades. Jeniffer, que reside em Medicilândia, município às margens da Rodovia Transamazônica (BR-230), levou a Santarém a filha de apenas 06 meses para fazer cirurgia. “Não tenho nem palavras pra agradecer. O atendimento foi ótimo, e tô muito feliz em ter conseguido a cirurgia pra minha filha”, declarou.

O diretor executivo da Operação Sorriso no Brasil, Charles Rosenburst, ressaltou a importância da parceria com o Estado otorrinolaringologista Jocivan Pedroso trabalha com pacientes fissurados em Santarém há mais de 15 anos. Ele conheceu voluntários da Operação Sorriso e apresentou a região à ONG, para a realização de ações humanitárias. O médico frisou a importância do apoio do governo. “Nossos pacientes fissurados da região, dos nossos interiores, ficavam escondidos. Eram pacientes que a gente não via. Hoje, eles já chegam até a gente, e nada mais importante do que o Estado poder participar de forma efetiva nesse trabalho”, disse o médico, que é voluntário da Operação Sorriso.

Doação de Órgãos – Ainda em Santarém, Daniela Barbalho, acompanhada da secretária-adjunta de Gestão de Políticas de Saúde, Ivete Vaz, teve um breve encontro com o diretor do Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), Hebert Moreschi, e apoiou a inciativa da unidade do governo do Estado em prol da doação de órgãos, por meio da I Corrida Doando Pela Vida, que será realizada no próximo domingo (13), pelo hospital.

Na oportunidade, a primeira-dama foi receptiva com a iniciativa, demonstrou preocupação com a causa e interesse em apoiá-la. “Além de abraçar a campanha, ela, literalmente, vestiu a camisa para que a gente possa levar essa informação a um número maior de pessoas. Temos diversas pessoas na fila de transplante, mas só conseguiremos viabilizar novos transplantes, se houver doação. Quanto mais pessoas conscientes e comprometidas com a causa, teremos mais doadores, menos pessoas na fila do transplante, e mais vidas salvas”, ressaltou Moreschi.

Durante a corrida, o Hospital Regional realizará mais uma edição do projeto “Ação do Bem”, em comemoração ao Dia da Filantropia. Na ocasião, corredores e população em geral poderão ser agentes do bem, doando alimentos que serão destinados a uma entidade. Serão disponibilizados atendimentos de saúde com aferição de pressão arterial, teste de glicemia e distribuição de material educativo.