O PARÁ DE VOLTA AO TRABALHO

Assistência técnica fortalece a produção familiar em todas as regiões do Pará

Emater ganha novas instalações nas regionais e renova frota, enquanto amplia o acesso de produtores ao conhecimento e a linhas de crédito

09/01/2021 01h37 - Atualizada em 11/01/2021 às 21h12

Mais de R $1 milhão foram executados em obras pelo Governo do Pará, por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), visando à revitalização de escritórios em várias regiões. Um dos investimentos é a nova Unidade Didática de Bragança (UDB), que abriga o Laboratório de Solos, além da agroindústria de leite e frutas.A atuação constante das equipes técnicas da Emater é fundamental no desenvolvimento da produção agrícola

Ainda no primeiro trimestre de 2021 o governo entregará os escritórios dos municípios de Igarapé-Açu, Santo Antônio do Tauá, Marapanim e São Caetano de Odivelas, no nordeste, beneficiando cerca de 400 famílias de agricultores, extrativistas e de comunidades locais, que recebem da Emater assistência técnica para melhorar a produção e orientações voltadas à regularização ambiental e ao credenciamento para políticas públicas.

Territórios Sustentáveis - Para reforçar as ações de campo do Programa Territórios Sustentáveis também foram adquiridos veículos e equipamentos para as regiões de Integração Araguaia, Xingu e Tapajós - 14 caminhonetes e dois sedans, 30 notebooks, 20 computadores de mesa e 40 GPS.A qualificação dos produtores abre novos mercados e gera emprego e renda na zona rural

Unidade de Bragança – A UDB de Bragança é referência para técnicos e agricultores familiares. Nesse contexto, o novo Laboratório de Solos tem a função de analisar a fertilidade, a determinação de pH e exames de nutrientes, essenciais para a melhoria da produção. A Unidade é utilizada para encontros, reuniões, cursos, oficinas, palestras, intercâmbios, excursões e outras atividades. Apoia, também, instituições educacionais na área de ciências agrárias, possui auditório com capacidade para até 60 pessoas por evento e reúne dados meteorológicos coletados desde 1977.A Emater facilita o acesso de agricultores a políticas públicas, como os programas de Aquisição de Alimentos e de Alimentação Escolar

Políticas Públicas - A partir de orientação da Emater, agricultores podem acessar mais de 15 políticas públicas do governo federal, como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Por meio do Pnae, estudantes passaram a consumir alimentação diferenciada, com ações reforçadas pela Emater desde 2019.

No Arquipélago do Marajó, um contrato no valor de quase R$ 600 mil foi assinado, no ano passado, com duas associações atendidas pela Emater: Associação dos Agricultores dos Campos do Marajó (AAFCAM), responsável por mais de 40 produtos, e Associação dos Batedores, Produtores, Extrativistas e Peconheiros do Município de Soure (Abepas), que produz 10 mil litros de açaí médio.

Já em Santarém, na região oeste, crianças indígenas da etnia Borari, da Vila de Alter-do-Chão, recebem desde outubro kits de merenda escolar com artigos orgânicos, junto com crianças quilombolas. A nutrição regionalizada dos 5.800 alunos, até cinco anos, atendidos nas 37 creches, pré-escolas e unidades de nível fundamental da rede pública do município é uma conquista da Associação dos Produtores Orgânicos do Tapajós (Tapajós Orgânicos), com apoio da Emater e de outras entidades.Fartura no campo passa pelos conhecimentos repassados pela Emater aos produtores

Em Santarém, o contrato do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), via edital da Prefeitura, é o primeiro na história do Pará direcionado exclusivamente à agricultura orgânica.

Crédito rural – Em 2020, agricultores de vários municípios foram contemplados com mais de 400 projetos de créditos elaborados pela Emater, resultando em cerca de R$ 27 milhões em projetos de crédito aprovados.

A Emater investe em cursos e capacitações para melhorar a qualidade dos produtosCrédito fundiário – Pela primeira vez no Pará, cinco famílias de agricultores familiares do município de São Domingos do Araguaia, no sudeste, foram contempladas com o Terra Brasil – Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF). Antes do crédito, eles eram empregados de outras propriedades rurais ou arrendavam lotes. As famílias também participarão de projetos de assistência técnica continuada e direcionada, a partir de um projeto do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

A Emater já tem demanda para outros 300 projetos de crédito fundiário para os municípios de Brasil Novo, Dom Eliseu, Conceição do Araguaia, Irituia, Marabá, São Miguel do Guamá, Redenção, Itupiranga, Acará e Marapanim.