Preços de hortifrutis continuam em alta no mercado atacadista

18/03/2015 12h27
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Os preços de grande parte dos produtos hortifrutigranjeiros comercializados no mercado atacadista vem apresentando alta desde o início do ano. Uma pesquisa feita em janeiro pelas Centrais de Abastecimento do Pará (Ceasa) já havia atestado essa tendência e foi confirmada em novo estudo, que revela aumento nos preços de sete alimentos, dos 12 analisados no mês de fevereiro.

O produto que apresentou a maior variação positiva no preço foi a cebola, com 28,27%, comercializada a R$ 42,74 a saca com 20Kg. A cenoura sofreu variação de 17,63%, sendo comercializada a R$ 51,64 (saca/20Kg); o mamão Havaí, com aumento médio de 12,16%, passou a ser comercializado a R$ 29,79 (caixa/20Kg); o abacaxi, com alta de 10,46%, a R$ 57,24 (caixa/36Kg); o tomate, com variação de 10,43%, a R$ 51,90; a laranja Pera, que teve reajuste de 8,33%, a R$ 17,68; e a banana Prata, que sofreu variação de 4,02%, a R$ 31,08 (caixa/16Kg).

Entre os produtos que registraram queda de preço em fevereiro estão a batata inglesa, com 11,56%, a melancia, que com 4,88%, e o maracujá, com 32,53%. O limão Thayti, que em janeiro apresentou a maior redução no preço, manteve esse ritmo, com queda de 5,90%. O repolho também teve variação negativa, de 14,87%.

A variação positiva de preço da maioria dos alimentos justifica-se pela queda na oferta de alguns itens, ocasionada pelo período de entressafra nos municípios produtores, como é o caso do abacaxi, da banana prata, cebola, cenoura, mamão Havaí e do tomate. Outros fatores que interferiram na alta dos preços em fevereiro foi o aumento do combustível e a greve dos caminhoneiros nos estados do Sul e Sudeste do país.

No caso do limão e do maracujá, a queda nos preços explica-se pelo fato de que ambos estão no período de safra, o que torna a oferta do produto mais acessível. No caso da batata inglesa, da melancia e do repolho, além da redução no volume comercializado, justificada pelo período de entressafra, pela estiagem (no caso da batata) e pela greve dos rodoviários (caso do repolho), a qualidade desses produtos também caiu.

A Análise Conjuntural de Abastecimento e Comercialização de Produtos Hortifrutis, como é intitulada a pesquisa feita semanalmente na Ceasa pela Diretoria Técnica do entreposto, acompanha a trajetória do preço e volume de comercialização dos principais produtos hortifrutigranjeiros, que representam mais da metade da oferta na empresa atacadista.