Desafio InovaTur promove palestras sobre turismo e gastronomia em Belém

27/04/2018 00h00
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Os autores dos 14 projetos selecionados para a última fase do Desafio InovaTur, uma ação conjunta das secretarias de Estado de Turismo (Setur) e de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), participaram de palestras na tarde de quinta-feira (26) com o secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes, e com a empresária do setor gastronômico Joanna Martins.

O InovaTur busca soluções para a promoção do Estado do Pará como destino turístico nos principais mercados emissores de turistas, tanto nacionais quanto internacionais. O desafio conta com a parceria do Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá e da Agência de Inovação Tecnológica da Universidade Federal do Pará (Universitec).

“A Amazônia representa 60% do território brasileiro. São 400 anos de história de extrativismo como cultura local. Ciclos da castanha, da borracha, da madeira, minério, entre outros. É através da ciência, do estudo e experimento que podemos conhecer as coisas que temos, buscando a compreensão do produto turístico e a importância do planejamento para a atividade econômica. Temos que diminuir as distâncias que nos separam. Temos um ativo que ninguém tem chamado Amazônia. Como nós, amazônidas e paraenses, vamos nos inserir nesse processo global de integração? Não temos como achar que não somos capazes de inovar. De 59 propostas, 14 foram selecionadas. Esperamos, através de vocês, melhorar o ambiente de negócios do Estado, em especial na cadeia do Turismo e Gastronomia”, afirmou Adenauer Góes ao falar do Plano Estratégico de Turismo Ver-o-Pará e da cadeia Turismo e Gastronomia, presente no Plano Pará 2030.

A diretora do Instituto Paulo Martins e pesquisadora em gastronomia amazônica, Joanna Martins, apresentou o tema “Empreender na Amazônia - Gastronomia: Um paneiro de possibilidades”. Ela fez questão de distinguir visões equivocadas e repassar modernos conceitos que podem ser aplicados no campo da inovação. “Gastronomia é o alimento mais o prazer em se alimentar. A culinária é a técnica. A gastronomia é mais ampla, desde o ingrediente até a receita. É interdisciplinar. Hoje temos uma nova gastronomia, com novos insumos e inovações, como a gastronomia funcional. Há diferença entre Gastronomia (prazer), Nutrição (saúde) e Engenharia de Alimentos (praticidade). Não há inovação sem conhecimento do saber tradicional”, garantiu.

Potencial - “Maior biomassa florestal do planeta, maior bacia hidrográfica, biodiversidade. São mais de 200 espécies de árvore por hectare. Trinta vezes mais espécies de peixes que toda a Europa. Povos indígenas, quilombolas, castanheiros, seringueiros. Tudo isso representa um potencial gigantesco de turismo no Estado. O Pará é área de fronteira da Amazônia. Aqui tem cerrado, caatinga, litoral e campos marajoaras. Existe um potencial na gastronomia para o turismo”, destacou Joanna Martins.

Para o professor José Augusto Lacerda, da UFPA, é preciso “fomentar ideias inovadoras que possam alavancar o desenvolvimento econômico do Estado”. Segundo ele, serão realizadas capacitações para instrumentalizar os alunos até o dia da apresentação final na Feira do Empreendedor, para seleção dos três melhores projetos. “O Inovatur é um exemplo de cooperação entre poder público, academia, sociedade e iniciativa privada”, disse o professor, acrescentando que podem “surgir sinergias com propostas complementares” entre os trabalhos selecionados.

Autor de um dos projetos selecionados, Arley Pinheiro, da Bem Te Vi, informou que “o objetivo central é mostrar os pontos turísticos, tanto gastronômicos quanto culturais do Estado, focando principalmente naqueles que têm potencial, mas não são tão lembrados. A gente sabe que no interior do Estado temos grandes manifestações que podem alavancar o turismo. O nosso projeto busca oferecer esta visibilidade. Saber que a gente tem grande potencial, e que isto já é reconhecido nacionalmente e até fora do País, é um incentivo a mais para nossa dedicação ao projeto. As palestras vão nos trazer mais ideias para serem postas em prática no InovaTur”.

Premiação - O Desafio InovaTur premiará as três melhores propostas, sendo o prêmio no valor de R$ 10 mil para o primeiro colocado; R$ 5 mil para o segundo, e R$ 3 mil para o terceiro. As propostas premiadas ainda receberão três meses de hospedagem no Espaço de Coworking do PCT Guamá, com apoio e orientações para amadurecer as ideias.

Os vencedores serão conhecidos em maio deste ano durante a programação da Feira do Empreendedor 2018, realizada pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. A lista dos selecionados poderá ser conferida no site da Sectet - www.sectet.pa.gov.br.