Santarém é o destino anfitrião da FITA 2022

No estande do município na Feira Internacional de Turismo da Amazônia, o visitante conhece a história e a cultura santarena

05/05/2022 12h01 - Atualizada em 05/05/2022 14h45

Com mais de 100 quilômetros de praias, florestas intocadas, banhada pelos dois maiores rios do estado, o município de Santarém, no oeste paraense, é o destino anfitrião da 10ª edição da Feira Internacional de Turismo da Amazônia (FITA) 2022. A "Pérola do Tapajós" também possui Alter-do-Chão, considerada pela mídia internacional a praia de água doce mais bonita do mundo, onde todos os anos são realizados a Festa do Sairé e o Festival dos Botos, maior manifestação cultural do interior do Pará e a mais antiga da Amazônia.

Além das belezas naturais encantadoras, Santarém possui uma rica gastronomia, casarões da época do império colonial e um museu que abriga grande acervo da cerâmica tapajônica. É a terra onde nasceu o Maestro Wilson Dias da Fonseca e onde cresceu e estudou o violonista Sebastião Tapajós.

A partir desta quinta-feira (05), a FITA, que ocorre na Estação das Docas, em Belém, inicia sendo a vitrine que exibirá Santarém. No estande do município, o visitante vai conhecer sua história, cultura, gastronomia, pontos turísticos, entre outros atrativos. “Certamente, a FITA mostrará Santarém para o mundo. Convidamos a todos para que possam prestigiar nosso stand e conhecer um pouco de nossa Pérola do Tapajós a partir desta quinta-feira”, convida Alaércio Cardoso, secretário municipal de Turismo de Santarém.

Pode-se chegar a Santarém pelo rio ou em aviões que pousam no aeroporto recém reformado e ampliado Maestro Wilson Fonseca. As praias são os cartões postais mais conhecidos. A 37 km do centro urbano, a vila balneária de Alter do Chão comanda essa atração estando entre os maiores destinos turísticos do Brasil. Além das praias, Alter do Chão realiza o Sairé e o Festival dos Botos que neste ano acontece no período de 15 a 19 de setembro. O evento injeta cerca 15 milhões na economia do município. São esperadas mais de 150 visitantes este ano.

O município também está na rota dos navios dos cruzeiros internacionais, recebendo uma média de 30 navios por ano. Eles singram o encontro das águas dos rios Tapajós e Amazonas, que não se misturam e criam uma linda paisagem fluvial na frente da cidade. O Rio Arapiuns também tem atraído turistas e visitantes. São praias exóticas e até cachoeiras, dentro de uma floresta intocada e exuberante.

Dona de atrativos naturais que encantam os turistas, Santarém é rica em fauna, florestas, rios, praias e cultura popular. É o lugar onde o sol dá um espetáculo para sair de cena todos os dias. Santarém recebe 25% dos turistas que entram no estado do Pará. Foram mais de 500 mil nos anos de 2018 e 2019, que antecederam a pandemia. Uma injeção de quase 400 milhões de reais na economia do município.

“Santarém respira turismo. É uma cidade abençoada por Deus e que possui belezas naturais que encantam qualquer visitante. Para manter essa vocação, temos investido em infraestrutura, mobilidade urbana, e entre outras obras. Recentemente, ganhamos o mais moderno terminal hidroviário do Brasil. Nosso aeroporto foi ampliado estamos levando asfalto para vários bairros da periferia e construindo novos cartões postais como é o caso da Orla do Maracanã a da Vila Arigó. Também já treinamos e capacitamos centenas de pequenos empreendedores e colaboradores da rede de hotelaria”, informa o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar.

Como chegar?

Quem deseja conhecer Santarém pode optar por via fluvial, aérea ou rodoviária. Voos regulares partem de várias cidades do país com destino ao aeroporto Maestro Wilson Fonseca, a 5 km do centro. Pela rodovia Santarém-Cuiabá (BR-163), a cidade está interligada ao Centro Oeste e Sudeste do país. Pela Transamazônica (BR-230), ao Nordeste. Pelos rios Amazonas e Tapajós, pode-se chegar ao município de qualquer parte do Brasil e até de outros países. 

Texto: Israel Pegado/Ascom Setur, com a colaboração de Alailson Muniz.

Por Governo do Pará (SECOM)