Com 80% das obras concluídas, Hospital Regional do Tapajós deve ser entregue em dezembro

30/10/2018 00h00
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Descentralizar as ações em saúde no Estado com atendimento médico de qualidade em hospitais de referência cada vez mais perto do cidadão. Essa é a proposta do governo estadual ao ampliar o número de leitos em todas as 12 regiões de integração, evitando o deslocamento até os centros com mais recursos em medicina. A implantação do Hospital Regional do Tapajós/HRT está inserida no contexto de ampliação e modernização gerencial e tecnológica dos serviços de saúde, em andamento no Estado e está prevista no planejamento estratégico da Secretaria de Estado de Saúde Pública – Sespa.  

"Os hospitais regionais têm uma função importante em cada uma das localidades onde são instalados. A descentralização dos serviços de saúde é prioridade da atual gestão, pois garantimos atendimento à população sem a necessidade de se deslocarem para a capital. Além da qualidade dos serviços prestados, levamos aos municípios a oferta de especialidades médicas de suma importância. Outro fator relevante são os procedimentos feitos nesses hospitais, como exames e cirurgias de alta complexidade. Hoje realizamos transplante renal e expandimos o serviço de hemodiálise no Hospital Regional Público do Araguaia (HRPA), em Redenção – assim como o Estado também oferece tratamento de câncer no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, e por meio da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia Dr. Vitor Moutinho (Unacon), em Tucuruí”, ressaltou o secretário Estadual de Saúde, Vítor Mateus. 

De acordo com o cronograma, o município de Itaituba está prestes a receber o Hospital Regional do Tapajós, obra que dispõem de estrutura física com seis pavimentos onde  a execução de serviços atinge 83%, com investimentos aplicados no valor de um pouco mais de R$ 148 milhões, recursos da Caixa Econômica Federal (CEF). A entrega da obra civil tem previsão em dezembro de 2018.

O empreendimento em Itaituba apresenta as mesmas características de empreendimento hospitalar do Hospital Doutor Abelardo Santos, em Icoaraci, na Região Metropolitana de Belém, com 10 andares e capacidade para 269 leitos. A obra já atingiu mais 90%, com previsão de entrega da obra física em novembro de 2018.

“No início da gestão, o Estado possuía apenas três grandes hospitais de média e alta complexidade, todos em Belém (Fundação Santa Casa de Misericórdia, Hospital das Clínicas e Ophir Loyola). Com a finalização das obras em curso, teremos mais de 20 cobrindo todas as regiões do Estado”, reiterou o governador por ocasião da visita às obras na região sudoeste do Pará.

O secretário adjunto de obras da Sedop, Arnaldo Dopazo, destacou a seriedade da administração em concluir mais um hospital de alta e média complexidade, apesar do período de crise que o país enfrentou recentemente, “a descentralização do atendimento médico no Estado é importante para a população, se levarmos em conta as dimensões geográficas”  

Serviços – Projetado em área construída de 16.470,87 m², a estrutura de seis andares passará a ofertar, após a inauguração, atendimento de alta e média complexidade com 170 leitos operacionais  nas seguintes especialidades: clínicas médica, cirúrgica, pediátrica e obstétrica  e mais quatro leitos de isolamentos. Também haverá 53 leitos complementares sendo, leitos de UTI adulto, UTI pediátrica, (pré-parto, parto e puerpério), indução anestésica, de recuperação pós anestésica, recuperação imagenologia e 22 máquinas de hemodiálise.

Térreo – Espaço com ambientes projetados para atendimento de urgência e emergência, laboratório de anatomia patológica, reabilitação, terapia renal substitutiva (TRS), imagenologia (mamografia, ultrassonografia, ressonância magnética, tomografia, raio-x), métodos gráficos (teste ergométrico, eletrocardiograma, funções pulmonares, eletroneuromiografia, eletroencefalograma, mapa/holter), atendimento ambulatorial, almoxarifado, estar equipe/plantão, manutenção/oficinas, central de armazenamento de farmácias (CAF), central de material esterilizado (CME), serviço de nutrição e dietética (SND)/refeitório, lavanderia, vestiários, carga e descarga e estacionamento com capacidade para 42 veículos.

Anexos - O empreendimento em saúde em fase de conclusão em Itaituba, conta anexos destinados à estação de tratamento de esgoto (ETE). Abrigo de resíduos, gases, subestação, transformadores e guarita principal.