Mulheres são maioria entre quadro de servidores da Fundação Hemopa

Elas correspondem a 80% do total de funcionários do hemocentro. Música, dança, cartões e bombons foram compartilhados na última terça-feira (08).

09/03/2022 09h30 - Atualizada em 09/03/2022 10h00

Elas estão presentes na recepção de doadores e pacientes, nos consultórios, no processo de coleta de sangue, nos serviços gerais e nos laboratórios. É muito comum encontrar mulheres também nos setores administrativos e, ocupando cargos mais altos na diretoria, já que elas correspondem a 80% dos servidores da Fundação Hemopa.     

Nesta terça-feira (8), a homenagem pelo Dia da Mulher começou com uma apresentação do Sarau Acústico – musica e poesia. Os servidores públicos Gabriel Nonarkys e Rafael Ramos recepcionaram doadoras e servidoras que chegavam no prédio sede, em Belém.

Todas receberam cartões e bombons personalizados com mensagens especiais. “As ações propostas pelo Hemopa no dia internacional da mulher promoveram momentos de encontro, integração e amizade entre as colegas de trabalho, valorizando e reconhecendo a importância de ser mulher dentro de uma  instituição que salva vidas”, destacou Gilda Saldanha, gestora da Assessoria de Gestão de Pessoas do Hemopa.

Após esse momento, as servidoras foram convidadas para uma aula experimental de dança do ventre com a professora e dançarina Kyanni Suzuki, do Studio de danças árabes Arabik. A dançarina é paciente da Fundação Hemopa e ficou muito feliz em poder dividir esse momento com as presentes. “Quando recebi o convite fiquei muito feliz porque a dança do ventre é uma atividade que transforma. Recebo muitas mulheres que vão em busca de curar uma depressão, que querem melhorar a timidez, mulheres de todos os estilos. A dança do ventre é para quem quer se sentir bem”, disse Kyanni.

Todas as unidades do Hemopa no Pará promoveram ações de integração entre as servidoras neste dia dedicado à mulher. Rosas estavam entre os mimos mais distribuídos para elas. “É um prazer comemorar mais um dia das mulheres junto com as minhas colegas. Aqui em Redenção o sentimento é especial, pois nesses dois anos de pandemia, nenhuma mulher se deixou abater, sempre trabalhando com muita dedicação e amizade. Então, fico muito feliz em fazer parte desse time de vencedoras”, disse Silvia Oliveira, farmacêutica química do Hemopa Redenção.

O presidente da Fundação Hemopa, Paulo Bezerra, fez questão de reunir as mulheres na sede e parabenizar pessoalmente. “Quero desejar a todas as nossas servidoras um dia especial. Se não fosse a figura da mulher, nenhum de nós estaríamos aqui. E eu, como presidente desta Fundação, só quero agradecer e desejar o melhor para todas as servidoras que se dedicam e contribuem para o trabalho desenvolvido por essa instituição que é tão nobre: salvar vidas!”, concluiu.

Por Anna Cristina Campos (HEMOPA)