FCP realiza cerimônia de lançamento do edital Semear 2022

Durante o encontro também foram entregues o Selo Cultura Pará para empresas que patrocinaram os projetos culturais entre 2020 e 2021

21/01/2022 09h26 - Atualizada em 21/01/2022 09h43

O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) e da Fundação Cultural do Pará (FCP), realizou na última quinta-feira (20) a cerimônia de lançamento do Edital da Lei Semear 2022 e na ocasião, foram entregues o Selo Cultura Pará para empresas que patrocinaram os projetos culturais entre 2020 e 2021.

Ao longo desses 18 anos, o Projeto Semear apoiou e apoia diversos projetos, dentre eles de Pinduca, Gaby Amarantos e Nilson Chaves. Para Ulysses Cabette, secretário executivo do Programa Semear, a importância do Selo para o projeto “é reconhecer as empresas do Estado do Pará que fomentam a cultura para que mais empresas se inspirem no exemplo e possam agregar ao Programa Semear”, afirma.

Neste ano de 2022, a expectativa é de bater as metas alcançadas em 2021, como conta o secretário executivo do programa. “Em 2021, nós atingimos todos os nossos objetivos. Conseguimos atingir 96% da renúncia fiscal de R$ 10 milhões. Isso incentivou o governador a aumentar a renúncia fiscal este ano para R$ 15 milhões porque nunca antes na história da Lei Semear tínhamos atingindo uma cota tão grande”, conta. O programa Semear realizou várias visitas em outros municípios paraenses como Altamira e Muitoarabá no ano de 2021 para explicar como a lei funciona e orientar interessados sobre quem pode participar ou patrocinar o programa. Essa ação faz parte do projeto de expansão da Semear pelas cidades paraenses.

secretária de Cultura do Estado, Úrsula Vidal.René de Oliveira, secretário da Fazenda, conta que o incentivo da Lei Semear juntamente com os empresários movimenta a economia, cria renda e gera emprego, sendo importante para o incentivo à cultura.

No evento, foram entregues placas a artistas contemplados. Aíla, cantora, compositora e produtora musical paraense, é uma das artistas contempladas e afirma que “a Lei sempre foi de extrema importância para todas as gerações desde quando ela existe para lançamentos de projetos”. Aíla conta sobre a dificuldade dos artistas na Amazônia lançarem seus projetos e que a Lei Semear incentiva e apoia.

Para a cantora, a renúncia fiscal traz empresas que possam patrocinar projetos culturais no estado e desenvolver o trabalho de artistas, técnicos, produtores, audiovisuais, do cinema, da música, do teatro e da dança.

A cerimônia também contou com a presença da secretária de Cultura do Estado, Úrsula Vidal. 

Texto: Ascom FCP

Por Luana Laboissiere (SECOM)