Gestores de planos de saúde debatem custo de assistência

29/11/2018 00h00
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Gestores dos planos de saúde dos servidores públicos debateram nesta quinta-feira (29) sobre os custos da assistência no Brasil e os impactos das decisões judiciais, durante o 7º Meeting Instituições de Assistência aos Servidores Públicos, que prossegue até sexta-feira (30), em São Paulo (SP). "O que se percebe no cenário nacional é que as receitas para a área da saúde estão sempre muito abaixo do custo dos atendimentos efetivamente prestados. É necessário buscar alternativas urgentes para mudar essa realidade", disse Iris Gama, presidente do Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Estado do Pará (Iasep) e vice-presidente do Conselho Nacional de Entidades de Saúde dos Servidores Públicos (Conessp), entidade que realiza o evento.

Uma alternativa para otimizar a receita da saúde seria "investir em eficiência e buscar uma gestão que priorize explicitamente os desfechos em saúde, que são importantes para o paciente em relação a seus custos", ressaltou o economista André Medice, sênior em saúde do Banco Mundial. Por videoconferência, direto de Washington (EUA), o economista fez uma abordagem sobre o cenário político e econômico para o biênio 2019/2020.

Judicialização - Tema constante nos encontros das instituições de assistência, a judicialização da saúde foi debatida na programação da tarde, com a presença do advogado Josenir Teixeira, especialista da área. Segundo ele, o excesso de direitos está fazendo ampliar o quadro de judicializações no Brasil, e a tendência é "que se invista cada vez mais alto para um número cada vez menor de pessoas".

No Pará, uma boa notícia é a redução das demandas judiciais, a partir da resolutividade obtida com os trabalhos do Comitê Interinstitucional de Resolução Administrativa de Demandas de Saúde (Cirads) e do Núcleo de Apoio Técnico do Judiciário (NAT-JUS), informou o procurador autárquico do Iasep, Olavo Câmara Júnior.

"Desde 2016, o Iasep vem registrando uma desjudicialização em saúde, com o incremento do Cirads e NAT-JUS. As demandas têm caído muito porque estão sendo resolvidas de forma administrativa", afirmou o procurador. Segundo ele, a maioria das determinações judiciais é para o "fornecimento de material de órtese e prótese, ou procedimentos cirúrgicos novos ou não indicados para o quadro clínico do paciente".

O médico Geraldo Alckmin, ex-governador do Estado de São Paulo, elogiou o trabalho do Conselho na busca de melhorias para os servidores públicos, durante a abertura do evento. Pelo Iasep também participaram do evento as procuradoras Edy Bogea e Marisa Lobato. Na sexta-feira, os integrantes do Conessp vão eleger a diretoria da entidade para o biênio 2019-2020.