Encontro propõe criação do Fórum de Gestores Municipais de Cultura

A proposta surgiu no 1º Encontro de Dirigentes Municipais de Cultura do Pará, promovido pela Secult em parceria com a Famep e o Sebrae-PA

07/04/2021 19h20 - Atualizada em 07/04/2021 23h14
Por Thaís Siqueira (SECULT)

Em parceria com a Federação das Associações de Municípios do Pará (Famep) e o Sebrae no Pará (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas-PA), a Secretaria de Estado de Cultura (Secult) realizou, nos dias 06 e 7 de abril, o 1º Encontro de Dirigentes Municipais de Cultura do Pará. O objetivo foi fortalecer o diálogo com os gestores municipais e auxiliar nas ações de política cultural no Estado. A programação foi transmitida ao vivo pelo canal da Secult Pará no Youtube e teve apoio da Fundação Cultural do Pará (FCP), Secretaria de Estado de Turismo (Setur) e Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad). O evento foi encerrado com a proposta de criação do Fórum de Gestores Municipais de Cultura.

A abertura da programação contou com a presença da deputada federal Jandira Feghali, relatora da Lei Aldir Blanc na Câmara dos Deputados, que ressaltou a importância do papel dos dirigentes. “A cultura como algo transversal a todos os setores da vida, da economia, a todo contexto em que a gente vive tem muita força, e ela pode de fato transformar muito. Por isso, os gestores da cultura não são apenas administradores de eventos; são gestores de processos que atravessam o governo inteiro, a saúde, o meio ambiente, o setor de entretenimento, de turismo e educação. Então, a cultura é coirmã de todas essas pastas e precisa dialogar com elas”, pontuou a parlamentar.

Rubens Magno, diretor-superintendente do Sebrae no Pará, instituição que apoia ações culturais no Estado, destacou a necessidade de se enxergar a cultura também como importante força motriz da economia. “Muitas vezes, o próprio artista não se vê como empresário, mas quando ele busca orientação para potencializar seu trabalho e se especializa, consegue transformar sua arte em negócio, gerando renda para família e para o Estado como um todo. Precisamos entender que a cultura é fundamental no processo econômico. Tudo isso mobiliza muita gente”, enfatizou.

Movimentação econômica - Na manhã desta quarta-feira (7) foram discutidas as emendas parlamentares estaduais e federais. Em seguida, o presidente da Fundação Cultural do Pará, Guilherme Relvas, e a produtora cultural Lany Cavalero, falaram sobre as leis Semear e Rouanet. “Financiar a cultura revela ao público que o patrocinador a reconhece como um fator primordial para a construção de uma sociedade mais justa e democrática, apoiando o acesso à cultura, movimentando a cadeia produtiva, gerando emprego, renda e oportunidades”, reforçou Guilherme Relvas. O diálogo incluiu ainda a participação do historiador Michel Pinho, presidente da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel).

Na sequência, os dirigentes municipais de cultura participaram da mesa-redonda “Cultura, turismo e empreendedorismo”, com a presença da secretária Ursula Vidal; do secretário de Estado de Turismo, André Dias, e de Rubens Magno. “Estamos aqui para trabalhar em conjunto. Turismo e cultura precisam sempre caminhar de mãos dadas para que a gente possa gerar cada vez mais emprego e renda na região. O turismo é um mercado feito 99% pelos pequenos empreendedores, por isso a parceria com o Sebrae também é natural e necessária”, frisou André Dias.

Interação - À tarde, o Encontro prosseguiu com a mesa redonda “Lei Aldir Blanc”, tendo como facilitador o diretor de Cultura da Secult, Júnior Soares, e a participação da analista técnica de Cultura da Confederação Nacional de Municípios, Ana Clarissa Fernandes. Os gestores municipais esclareceram dúvidas e apresentaram propostas de melhorias para as políticas públicas do setor. Representantes da sociedade civil também interagiram por meio do chat.

O encerramento contou com a participação de Fabrício Noronha, secretário de Cultura do Espírito Santo; José Júnior, diretor de Economia Criativa da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais; Michelsen Diógenes, presidente do Fórum de Secretários Municipais do Ceará, e da titular da Secult, Ursula Vidal.

“O encontro superou nossas expectativas. Foi um momento muito rico de trocas e aprendizados. Esse é apenas o começo de um cronograma de ações que vamos desenvolver. Tivemos uma participação muito significativa de entidades parceiras, como Sebrae, Setur, FCP e Seplad, para auxiliar na execução de emendas parlamentares, e já estamos nos organizando para o desenvolvimento de um fluxograma de trabalho. Dessa interação com os municípios já saiu o encaminhamento para o processo de formação do Fórum Estadual, com proposição de formato e de um estatuto com diretrizes que atendam às necessidades de voz e de articulação entre as regiões de Integração. Estamos bastante felizes, e temos certeza de que ativamos um processo que é a continuidade do que foi iniciado no ano passado. Nosso calendário de trabalho vai ser muito produtivo ao longo de 2021”, garantiu Ursula Vidal.