Governo autoriza reconstrução do Museu do Marajó

No lançamento da licitação, o governador Helder Barbalho afirmou que a obra permitirá o "resgate de uma parte da história, da arte e da cultura marajoaras"

23/09/2020 23h19 - Atualizada em 24/09/2020 09h17
Por Thaís Siqueira (SECULT)

A assinatura do edital contou com a presença do governador Helder Barbalho; da titular da Secult, Ursula Vidal; do secretário de Estado de Turismo, André Dias, e do secretário Regional de Governo do Marajó, Jaime BarbosaO Governo do Pará lançou nesta quarta-feira (23), o edital de licitação que vai viabilizar a reconstrução do Museu do Marajó, localizado no município de Cachoeira do Arari. O espaço, que está temporariamente sob a salvaguarda do Sistema Integrado de Museus e Memoriais, da Secretaria de Estado de Cultura (SIMM/Secult), foi idealizado pelo padre Giovanni Gallo em 1972 e conta com cerca de 5 mil peças de cerâmica, que preservam a história e a memória do povo marajoara.

O ato de assinatura do edital ocorreu no Palácio do Governo, em Belém, e contou com a presença do governador Helder Barbalho; da titular da Secult, Ursula Vidal; do secretário de Estado de Turismo, André Dias, e do secretário Regional de Governo do Marajó, Jaime Barbosa.

"Temos a felicidade de anunciar a publicação do edital que vai permitir esse resgate de uma parte da história, da arte e da cultura marajoaras. Seguramente, esse espaço não apenas valoriza toda a história do padre Giovanni Gallo, mas acima de tudo mantém vivo o trabalho desse importante museólogo e, claro, estimula amplamente o turismo na região. Agradecemos aos secretários aqui presentes e o apoio do senador Jader Barbalho, que disponibilizou parte dos recursos para que possamos fazer essa importante obra em favor da cultura do Pará", destacou o governador Helder Barbalho.

A secretária Ursula Vidal disse que o Museu do Marajó é um espaço vivo de preservação da memória do lugar. "O Museu tem uma importância simbólica grande para todo o arquipélago e para o homem marajoara, seja do ponto de vista arqueológico, etnográfico ou antropológico. Ele resgata a história de uma ocupação que remonta a milhares de anos, sendo fundamental garantir sua existência. Por isso, todo o projeto de restauração tem sido feito em diálogo constante com os moradores de Cachoeira do Arari, para que ele espelhasse os desejos, a identidade e as potencialidades da própria comunidade", ressaltou.

Pioneirismo - O secretário Regional Jaime Barbosa reconheceu o pioneirismo do padre Giovanni Gallo na construção do Museu. "O nosso Museu passa por uma situação muito complicada, por isso o lançamento desse edital representa um passo importante para a revitalização do espaço, que vai ao encontro do sonho e dos planos do padre Gallo. É uma felicidade muito grande saber que o que ele imaginou está agora se concretizando, se tornando a maior ferramenta de turismo do Marajó e uma alavanca de desenvolvimento para a nossa região", acrescentou.

Para o secretário André Dias, a revitalização de um museu importante para a cultura e identidade marajoara mostra aos visitantes toda a riqueza que o Marajó possui. "Esse espaço é central para a cidade de Cachoeira do Arari, mas também repercute nas cidades vizinhas, onde existem hotéis e outras opções de lazer e turismo. Por esse motivo, precisamos ter sempre equipamentos modernos que apresentem essa opção de contemplação de experiência e de conhecimento, para que o turista decida vir para cá. De posse desses equipamentos, conseguimos promover ainda mais o turismo na nossa região", afirmou o secretário de Turismo.