Custodiados de Itaituba participam de curso de meditação

O projeto faz parte de um programa mundial chamado “Prision Smart”, que é voltado para o sistema prisional

31/07/2020 12h32 - Atualizada em 31/07/2020 12h46
Por Vanessa Van Rooijen (SEAP)

O curso é voltado para os custodiados de regime fechadoExercícios de respiração e meditação trazem benefícios para o corpo e a mente. Pensando nisso, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) iniciou no Centro de Recuperação de Itaituba (CRRI), o projeto “Respirando a liberdade”. A ação ocorre em parceria com a fundação internacional “Arte de Viver” e a Vara de Execuções Criminais de Itaituba.

O projeto faz parte de um programa mundial chamado “Prision Smart”, que é voltado para o sistema prisional. Tem como objetivo promover nos custodiados o controle das emoções com técnicas de respiração, para remover o estresse no organismo. Também resgata valores humanos, buscando contribuir para redução de violência fora e dentro do presídio, o que gera impactos positivos na sociedade. 

O curso é voltado para os custodiados de regime fechado, com o intuito de ser implantado como rotina.

A fundação “Arte de viver” é quem ministra as aulas. Trata-se de uma organização humanitária e educacional, sem fins lucrativos e operando em mais de 160 países. Ela tem como objetivo ensinar técnicas de respiração, meditação e yoga, visando o autoconhecimento e o equilíbrio, para uma cultura de paz e sem violência.

O primeiro curso foi realizado nos dias 6 a 9 de junho, com a duração de três horas e totalmente online, contando com a presença dos diretores, da equipe técnica e agentes penitenciários do CRRI e da equipe técnica da Vara Criminal e do Setor Psicossocial da Comarca de Itaituba. O curso com os apenados ocorreu nos dias 20 a 23, com a participação de 10 custodiados.

Todos os presentes seguiram protocolos de segurança e as medidas de prevenção determinadas no Plano de Contingência para enfrentamento da Covid-19. 

O diretor de Reinserção Social da Seap, Belchior Machado, ressalta a importância da prática dos exercícios para os custodiados. “É um trabalho de resgate dos valores humanos, contribuindo para a diminuição dos níveis de estresse e violência, por meio do uso de técnicas de respiração e de conhecimentos práticos que proporcionem o manejo das emoções”, afirma.