Aplicativo do Ministério da Justiça irá contribuir para ações da segurança pública do Pará

Aplicativo “Sinesp Agente de Campo” permitirá a checagem de informações pessoais e de veículos para fornecer dados qualitativos aos agentes de segurança

26/05/2020 14h33 - Atualizada em 26/05/2020 15h13
Por Laís Menezes (SESPA)

Página do aplicativo “Sinesp Agente de Campo”, desenvolvido pelo Ministério da JustiçaUma parceria entre a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), vinculada ao Ministério da Justiça, e a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup), vai melhorar a atuação dos agentes de segurança pública que fazem abordagens e fiscalizações no Pará. O aplicativo “Sinesp Agente de Campo”, desenvolvido pelo Ministério da Justiça, permitirá a checagem de informações pessoais e de veículos para fornecer dados qualitativos aos agentes de segurança.

A plataforma permite a consulta à base de dados de veículos do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) para a verificação de restrições e passagens por sensores do sistema Córtex Brasil, identificando veículos que tenham restrições criminais; além da Base Nacional Integrada de Boletins de Ocorrência, para identificação de pessoas com mandados de prisões em aberto ou em condição de suposto autor/infrator de algum crime.

O aplicativo será utilizado em todo o Pará, por meio de smartphones, por agentes da Segup, Policiais Civis e Militares e agentes do Detran. A rede de informações será utilizada apenas para consultas, já que as informações são incluídas e alteradas pelo próprio Ministério da Justiça, a partir de dados originários dos boletins de ocorrência que os estados da federação encaminham. Além do Pará, a ferramenta também será testada no Acre e Tocantins.

“Esse aplicativo é mais um auxílio para as forças de segurança pública para a coleta de informações e checagem nas abordagens de rua, porque disponibiliza, em tempo real para o servidor, o acesso às informações do banco de dados, seja um mandado de prisão ou apreensão de veículos”, afirmou o secretário de Inteligência e Análise Criminal, André Costa.

No Pará, a plataforma está em fase de cadastramento, desde a última segunda-feira (25), e após essa etapa passará a ser utilizada nas fiscalizações e abordagens.