'Juventude Protagonista' inicia ciclo de 18 oficinas para jovens em Marituba

05/11/2019 17h11 - Atualizada em 05/11/2019 22h36
Por Claudiane Santiago (SEJUDH)

Jovens de 13 a 17 anos aproveitam as oficinas para interagir e aprender sobre direitos humanos"É a primeira vez que vejo um projeto para jovens aqui no Bairro Nova União. Estou muito feliz e já ansioso para as próximas oficinas, porque sei que vai trazer muita coisa pra gente. Nós vamos trocar ideias, conhecimentos e vamos evoluir", afirmou o jovem Marcos da Silva, 17 anos, que manifestou seu otimismo com o Projeto "Juventude Protagonista", que integra as ações do Programa Territórios pela Paz (TerPaz). Por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), os benefícios do projeto chegaram a moradores do Nova União na manhã desta terça-feira (5), na Escola Santa Helena.

Com o objetivo de mudar o olhar de jovens de 13 a 17 anos sobre a realidade em que vivem, tornando-os protagonistas do próprio futuro, o projeto ofertará 18 oficinas, durante seis meses, sobre a temática dos direitos humanos e valorização da vida.

Para garantir o máximo de aproveitamento das dinâmicas oferecidas, serão utilizadas técnicas mais lúdicas, para garantir melhor assimilação do conteúdo, como teatro, música e dança.O Projeto ″Juventude Protagonista″ integra as ações do TerPaz

Ampliação - Atuar em mais um município e trabalhar com novos jovens é gratificante, declarou o coordenador do projeto, Patrick Passos. "Ficamos muito realizados em poder contemplar mais um município. Já estamos atuando em Ananindeua e, agora, começamos aqui. Queremos muito mostrar que nosso objetivo é mudar a vida deles proporcionando conhecimentos, atuando em favor da cidadania e tornando-os multiplicadores", reiterou o coordenador.

A partir da do próximo ano, as ações do projeto chegarão a outras regiões do Estado. "É um compromisso do governo que, hoje, chega a Marituba. Mas para 2020, a Secretaria já está em fase de planejamento para atuar nos municípios do sudeste do Estado. Beneficiar os jovens, trabalhar o enfrentamento da violação dos direitos e a garantia deles, são algumas das nossas maiores metas", afirmou o secretário adjunto da Sejudh, Rodrigo Roldan.