Governo busca parceria com investidores chineses

Durante reunião com o governador, chineses conheceram os principais projetos estaduais e conversaram sobre as possibilidades de desenvolvimento do Pará

22/10/2019 13h56 - Atualizada em 22/10/2019 14h44
Por Laíse Coelho (SECOM)

Fortalecer o desenvolvimento econômico do Pará e buscar estratégias para potencializar a produção mineral do Estado tornando a atividade mais competitiva no mercado internacional. Esses foram os pontos principais tratados em uma reunião de representantes da empresa China Trade Center com o governador do Pará, Helder Barbalho, nesta terça-feira (22), no Palácio de Governo em Belém. O vice-governador do Estado, Lúcio Vale, e o secretário  da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Iran Lima, também participaram da reunião.

O grupo de investidores faz parte da empresa que é a maior geradora de energia da China. Eles vieram ao Pará conhecer as potencialidades do Estado para traçar as possibilidades de investimento para os próximos anos. Os chineses conheceram os principais projetos estaduais como a ferrovia do estado do Pará e o Porto de Barcarena, que é considerado estratégico por ser um dos pontos mais próximos da Europa e também do canal do Panamá. 

As possibilidades de desenvolvimento no setor da produção e da verticalização mineral também foram apresentadas aos investidores, em destaque para a produção de alumínio, a qual o Pará é o maior produtor de bauxita do Brasil. O grupo demonstrou interesse em trazer tecnologias e investimentos na área de energia renovável ao Pará, para potencializar a produção mineral e fortalecer a economia do Estado.

O governo reforçou a importância dessa parceria e a oportunidade dos investimentos da China. "A produção de energia com um preço menor vai incentivar o setor produtivo do Pará e fortalecer a verticalização de determinados produtos. Com geração de energia solar, que eles produzem e tem um custo menor, vai ajudar a tornar a produção mais competitiva, inclusive no mercado internacional, e a nossa verticalização da produção mineral pode se tornar uma realidade para o povo do Pará." destacou o secretário da Sedeme, Iran Lima.