Banco de Alimentos Municipal vai ser implantado na Ceasa

20/07/2017 00h00
Por Redação - Agência PA (SECOM)

A Centrais de Abastecimento do Pará (Ceasa) e a Coordenação das Políticas de Segurança Alimentar e Nutricional (Copsan) assinaram um Termo de Cooperação Técnica, na terça-feira, 18, para a implementação de um Banco de Alimentos Municipal. O espaço onde vai funcionar na Ceasa e tem previsão de conclusão para o fim do ano.

A parceria visa evitar o desperdício de recursos alimentares, aperfeiçoar os mecanismos de controle de qualidade dos alimentos e ampliar o acesso da população à alimentação, em quantidade e qualidade adequadas. “Em especial, o acesso das famílias que se encontram em risco social, garantindo a segurança alimentar e nutricional”, ressaltou a coordenadora da Copsan, Tônya de Souza.

A ideia é monitorar toda a cadeia alimentar para evitar desperdícios devido a danos estéticos, erros de impressão, a sobras ou “retalhos” de lotes, dentre outros fatores, que resultam em toneladas de alimentos depositados no lixo diariamente. “E muitas vezes os alimentos ainda estão em boas condições de consumo, mas não estão para a comercialização, e como hoje não temos uma área de seleção de alimentos, vão parar no lixo”, explicou a presidente da Ceasa, Bianca Piedade.

A gestora informou que alguns atacadistas parceiros comunicam quando identificam produtos do tipo e, a partir daí, doam para instituições como creches, hospitais e algumas escolas de tempo integral. “Mas temos que sistematizar, ampliar esse processo para dar o devido destino a esses alimentos e aumentar o consumo de alimentos saudáveis por parte da população”, complementou.

A Copsan deve fazer um novo cadastro dessas famílias para iniciar um trabalho de conscientização e fazer com que saiam da situação de risco. “Vamos cuidar da parte operacional, da logística da distribuição de alimentos, da coordenação dos beneficiados e das oficinas de reaproveitamento integral de alimentos voltadas para as instituições beneficiadas. E tudo isto vai contribuir para uma efetiva Política Municipal de Segurança Alimentar e combate à fome e à miséria”, detalhou Tônya.