População recebe escola estadual reformada e com nova biblioteca

14/09/2019 12h41 - Atualizada em 16/09/2019 14h32
Por Tayná Horiguchi (COSANPA)

A estudante Milene, de 15 anos, teve a oportunidade de ler um trecho da carta diretamente ao governador e fez questão de ressaltar que está cheia de orgulho do lugar onde estuda.“Pela primeira vez, após anos de abandono, nossa juventude pode estudar em uma escola que nos abraça, nos diz o quanto é bom ler e escrever, o quanto é bom ser visto como cidadão”. As palavras são de uma carta que os alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Penhalonga, no município Vigia, escreveram ao governador do estado, Helder Barbalho. A intenção foi agradecê-lo durante a visita dele, neste sábado (14), à escola, que agora conta com uma nova biblioteca e as estruturas totalmente reformadas.

Foi lendo outra carta dos alunos, em uma postagem nas redes sociais, que o governador soube da situação dessa escola, localizada na Vila Penhalonga, a cerca de 10 quilômetros do centro do município de Vigia. A professora Marcela Castro, que está no ensino público desde fevereiro deste ano, divulgou na internet as fotos das dependências da instituição e cartas dos estudantes pedindo por uma biblioteca.

“Eu imaginei que nos fôssemos conseguir doações de livros, mas jamais poderia imaginar que haveria toda essa mudança na escola. Que entraria em uma sala de aula com condições dignas para os meus alunos estudarem. Imaginei que isso fosse acontecer, quem sabe, daqui a dois, três anos. Não em uma velocidade tão intensa, o que não é comum no serviço público. Ao contrário, eu vi pela primeira vez uma eficiência que nunca tinha enxergado. Isso deixou a todos muito felizes”, comemorou Marcela.

Os tweets da professora chegaram até o governador, que a recebeu dois dias depois, em Colares, e garantiu que o pedido seria atendido. A postagem foi feita em abril e respondida pelo próprio governador. Em julho, a manutenção corretiva começou na escola, junto com a revitalização da biblioteca e, em agosto, tudo estava pronto. A professora conta que fez a postagem no Twitter e chegou a pensar que ninguém fosse ver. “Houve um susto muito grande, porque eu atingi mais de 100 mil pessoas com esse tweet”, revela, surpresa.

Marcela conta ainda que os alunos não tinham espaço adequado para estudar, as salas eras escuras, e que pensou em mudar alguma coisa, embora o foco fosse somente a biblioteca. “Não imaginávamos que haveria todo esse resultado positivo. Agora, é um espaço que realmente merece abraçar os alunos. Antes, eles eram as únicas joias daqui. Agora, a escola é uma joia também”, ressaltou Marcela Castro.

A obra garantiu a correção e recuperação de telhados, das cinco salas de aula, sala dos professores, administração, copa, banheiros, estrutura hidráulica e elétrica, pintura geral, além da revitalização da biblioteca.Escola Penhalonga – A instituição existe há 34 anos, atende 245 alunos dos ensinos fundamental e médio e foi uma das 105 escolas da rede estadual que passaram por manutenção preventiva e corretiva, no mês de julho. De acordo com a diretora, nos últimos 10 anos, nenhum reparo havia sido feito no local.

“Era complicado, porque não tinha muro, o banheiro era bem precário, a biblioteca - que é um espaço essencial - estava cheia de cupim. Realmente a gente precisava muito desse olhar. Agradeço primeiramente a Deus e depois ao governador, que teve esse olhar humano”, agradeceu a diretora da escola, Hosana Alves.

A obra garantiu a correção e recuperação de telhados, das cinco salas de aula, sala dos professores, administração, copa, banheiros, estrutura hidráulica e elétrica, pintura geral, além da revitalização da biblioteca. O recurso de R$ 270.863,28 para a manutenção veio do Tesouro Estadual.

O sonho de ter uma biblioteca com condições de receber alunos e professores agora é realidade na Escola Estadual Penhalonga.“Temos ido às escolas, entregando novos espaços após reformas. Essa escola passou por manutenção corretiva e preventiva. Ganhou novas instalações elétrica e hidráulica, pintura, recuperação do telhado. É uma escola viva entregue à comunidade. A alegria das pessoas, transmitida com a chegada do livro, dos projetos, é encantadora. Não tem como não se emocionar”, disse a secretária de Estado de Educação, Leila Freire.

Na visita técnica deste sábado, estiveram ao lado do governador, o presidente da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), Daniel Santos; o secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Iran Lima; a secretária de Educação, Leila Freire; o deputado estadual Francisco Filho (Chicão); e também a prefeita de Vigia, Camile Vasconcelos, e vereadores do município.

“Poder ter esse contato, estar perto das pessoas, nos ajuda muito para que a gente possa acertar. As pessoas terem o direito de reivindicar, solicitar, pedir e, principalmente, nós podemos atender. Nem sempre conseguimos atender tudo, mas o importante é a determinação de poder construir junto à população do Pará um futuro melhor. Eu estou muito feliz de poder estar aqui na Vigia, em Penhalonga, e, acima de tudo, reafirmando o compromisso com a educação no Pará”, declarou o chefe do Executivo estadual, Helder Barbalho.

Estar perto da população e, principalmente, atender aos pedidos feitos pela sociedade ao Estado, é uma das premissas da gestão, segundo o governador Helder Barbalho.O pedido virtual que era um sonho dos alunos da escola Penhalonga agora é realidade para os mais de 200 alunos. A estudante Milene, de 15 anos, teve a oportunidade de ler um trecho da carta diretamente ao governador e fez questão de ressaltar que está cheia de orgulho do lugar onde estuda.

“Estudo aqui há cinco anos e a escola estava bastante destruída. A gente não tinha mais nem vontade de estudar. Graças ao governador, a gente conseguiu esse sonho, algo que a gente sempre quis: a biblioteca para a gente ler. A leitura realiza sonhos. E está maravilhosa!”, concluiu a adolescente.

A instituição existe há 34 anos, atende 245 alunos dos ensinos fundamental e médio e foi uma das 105 escolas da rede estadual que passaram por manutenção preventiva e corretiva, no mês de julho.