Emater fortalece agricultura familiar com ações em Santa Cruz e Soure

10/09/2019 12h28 - Atualizada em 10/09/2019 13h23
Por Rodrigo Reis (EMATER)

O escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Santa Cruz do Arari, no Marajó, entregou 50 declarações de aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e assinou 50 projetos via Pronaf B – microcrédito rural, destinado à agricultores com renda anual de até R$ 20 mil.

Os programas possibilitam vários acessos a políticas públicas voltadas para o desenvolvimento do pequeno agricultor, como o Programa de Aquisição de Alimentos e habitação rural. Já os integrantes do grupo B poderão obter crédito para investir na implantação, ampliação e modernização da infraestrutura de produção e serviços de estabelecimento rural ou em áreas comunitárias rurais próximas de sua localidade de origem.

Na opinião do chefe local da Emater em Santa Cruz do Arari, Orlando Lameira, a oferta dos programas atende demanda dos produtores do município que “procuram constantemente o órgão, para que sejam inseridos nas ações”. Para que o pescador seja contemplado com o Pronaf B, deve ter cadastro no Ministério da Pesca. Após isso, a Emater entra em ação. “A equipe realiza levantamento das atividades, visita propriedade e depois entrevista o pescador para constatar se ele se enquadra”, explica Lameira.

Dentro do Pronaf B, o valor relacionado para cada pescador é de R$ 2.500, que deverão ser utilizados para compra de materiais de pesca, reforma de embarcações e fortalecimento da atividade pesqueira no município. O valor total chega a R$ 125 mil. O valor de R$ 2.500 estará disponibilizado em 45 dias.

A entrega do Pronaf B ocorreu em evento realizado no último final de semana, na Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Arari, e fez parte do seminário integrado de 30 anos do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), do Banco da Amazônia.

Soure – Em parceria com a Escola de Ensino Técnica do Estado do Pará (Eetepa) de Soure, a Emater realiza atividades práticas de campo para os alunos do curso de agropecuária. A proposta da parceria é oferecer, aos estudantes, conhecimentos adquiridos em sala de aula. “Isso possibilita uma formação mais completa e contextualizada à realidade local. A gente ensina e também aprende, é uma troca de conhecimento”, comenta o chefe local da Emater em Soure, Fernando Moura.