Solenidade na Alepa homenageia Diário Oficial na era digital

27/06/2019 17h15 - Atualizada em 27/06/2019 18h36
Por Julie Rocha (IOE)

Servidores da autarquia, representantes de entidades, além de autoridades locais e de outros estados estiveram na sessãoO Diário Oficial do Estado ganhou sessão solene, na manhã desta quinta-feira (27), no plenário da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), em homenagem aos 128 anos de fundação. A solenidade teve início por volta das 10h e contou com a presença de servidores da autarquia, representantes de entidades, além de autoridades locais e de outros estados.

Para lembrar da trajetória do matutino publicado pela Imprensa Oficial do Estado, que agora é totalmente digital, foram chamados à mesa a ex-governadora Ana Júlia Carepa, o deputado federal Edmilson Rodrigues, a secretaria de Estado de Cultura, Úrsula Vidal; o presidente da Academia Paraense de Letras (APL), Alcyr Meira; a desembargadora Izabel Benone; o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa), Carlos Jorge Lima, e o presidente da Associação Brasileira de Imprensas Oficiais (ABIO), Nourival Júnior, que preside atualmente a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo (Imesp).

Ao abrir a sessão, o presidente da Alepa, deputado Daniel Santos e autor da proposta, lembrou que no Palácio Cabanagem, atual sede do Poder Legislativo, foi impressa a primeira edição do Diário Oficial, em 11 de junho de 1891, com os primeiros atos governamentais.

O presidente da ABIO, Nourival Júnior, disse que é uma honra vir a Belém para participar das comemorações dos 128 anos. "A Imesp também completou 128 anos em abril deste ano. Quero desejar meus sinceros agradecimentos ao Jorge Panzera pelo trabalho à frente da Imprensa do Pará e pela valorização dessa história. Parabenizo também o governador Helder Barbalho, que tem se engajado e mostrado uma gestão inovadora".

Ao falar da importância do Diário Oficial como instrumento de controle social, o deputado federal Edmilson Rodrigues garantiu que vai se empenhar junto à bancada federal, para assegurar recursos que viabilizem a remontagem do Chalé de Ferro, que por muitos anos serviu como sede da Imprensa.

O presidente da APL, Alcyr Meira, falou das dificuldades que a academia vem enfrentando e citou a Imprensa Oficial como um dos órgãos que mais apoia as atividades da instituição centenária. "Temos muito apreço por esta instituição e pela maneira como vemos a publicação de obras das mais variadas. Temos um concurso literário e essas obras premiadas são justamente publicadas pela Imprensa Oficial", citou ele.

A ex-governadora Ana Júlia Carepa citou a solenidade como "um marco na trajetória da Imprensa Oficial" e lembrou das mudanças feitas a partir da gestão de Jorge Panzera, incluindo a versão digital, a partir de março, além de outras ações que a autarquia vem realizando.

Presidente Jorge Panzera destacou os avanços da Imprensa Oficial, entre eles, o avanço para a versão digitalO presidente da Imprensa Oficial, Jorge Panzera, agradeceu a todos os participantes e lembrou que a solenidade é também dedicada aos servidores que fazem o Diário Oficial todos os dias. "Alguns aqui tem mais de 25 anos de estado", citou ele. "Quero também agradecer ao governador Helder Barbalho por ter nos conduzido e colocado nessa missão. Acredito sempre nas construções coletivas e na política como caminho para solucionar os problemas".

Jorge lembrou que o Diário Oficial desempenha um papel importante em uma instituição centenária, considerada uma das mais antigas do Brasil. Como representante da Região Norte na Associação Brasileira de Imprensas Oficiais, ele ressaltou a importância do papel que precisam cumprir, que é de dar maior transparência aos atos da gestão. "Governos passam e nós precisamos valorizar caminhos de fortalecimento da sociedade e da democracia".

Ele também falou das ações de modernização que a Imprensa Oficial vem passando, destacando a criação da editora pública, cujas linhas editoriais, com editais públicos que vão valorizar obras de autores paraenses nas doze regiões do Estado, serão lançadas na 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, em agosto, em Belém. "Precisamos valorizar os talentos espalhados em todo o Pará e queremos fazer isso todos os anos, além de levar os livros de autores de uma região para outras, para também integrar esse Estado tão grande".

Também estiveram presentes na solenidade representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade do Estado do Pará (Uepa) e Universidade da Amazônia (Unama), Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA), Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, entre outros.

História – A Imprensa Oficial foi criada no dia 14 de abril de 1891, como órgão da estrutura administrativa do Estado, para dar transparência aos atos governamentais. O Palácio Cabanagem, atual sede do Poder Legislativo, foi a primeira sede da Imprensa Oficial, de onde saiu a primeira edição do Diário Oficial do Estado, com matérias sobre a regulamentação da própria Imprensa, assim como decretos, expedientes de outras secretarias de governo e atas das sessões preparatórias.