No Mangueirão, atleta paraense treina em busca do tetracampeonato de atletismo

25/06/2019 17h18 - Atualizada em 25/06/2019 18h25
Por Paula Portilho (SEEL)

A pista de atletismo do Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, em Belém, é palco para a busca de um sonho: a conquista do tetracampeonato Norte-Nordeste de Atletismo, na prova de 1.500 metros. De olho no título, Eduardo Costa da Silva, 28 anos, atleta contemplado pelo Programa Bolsa Talento, coordenado pela Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), intensificou o treinamento para continuar no primeiro lugar do pódio, pelo quarto ano consecutivo.

Eduardo Costa da Silva (c) está treinando em busca de mais uma vitóriaO atleta viajará para Recife (PE )no próximo sábado (29) para participar do 43° Troféu Norte-Nordeste Caixa de Atletismo, promovido pela Confederação Brasileira de Atletismo e pela Federação Pernambucana de Atletismo, no próximo final de semana. "Com o apoio da Seel, que cede o espaço para o meu treino, sou tricampeão Norte-Nordeste na prova de 1.500 m. Ano passado, fiquei em 3° lugar no Campeonato Brasileiro Universitário, em Maringá, no Paraná. Estou treinando seis dias por semana para vencer a prova", contou o atleta.

Eduardo Costa da Silva foi descoberto em Tucuruí, município do sudeste paraense, em 2010, durante testes realizados por uma equipe de São Paulo, que buscava por novos talentos. Ele morou por dois anos em Bragança Paulista, interior de São Paulo, fazendo aprimoramento técnico. Em 2013, voltou para a capital paraense e passou a treinar no Mangueirão com a professora Suzete Montalvão, ex-atleta paraense que se especializou em provas de 400 m e 800 m, e participou da Olimpíada de Seul (1988).

O atleta Eduardo Costa é um dos contemplados pelo Programa Bolsa Talento, mantido pelo governo do EstadoMedalhas - No início deste mês, Eduardo Costa e outros atletas que treinam no Mangueirão competiram nas categorias de Sub-16 até Adulto na segunda etapa do Campeonato Caixa de Atletismo, realizada em Macapá (AP), pela Federação de Atletismo do Amapá, nas modalidades corrida, salto, arremesso de peso e lançamento de disco. O grupo trouxe para Belém 31 medalhas, sendo 19 de ouro. Eduardo venceu as provas de 1.500 m e 800 m, na categoria Adulto. "Com o resultado, me tornei líder do ranking Norte-Nordeste nos 1.500 m, e chego ao torneio como favorito", ressaltou o atleta.

Para Adélio Mendes, diretor do Estádio Olímpico, "o Mangueirão é uma praça esportiva e não apenas um estádio de futebol, e sua criação atende à necessidade de fomentar o esporte em diversos níveis e modalidades, o que se justifica por esses bons resultados".O atleta paraense quer continuar no lugar mais alto do pódio

A pista de atletismo foi incorporada ao estádio em 2002, com a reinauguração do espaço. O Mangueirão foi classificado pelo Sistema Brasileiro de Classificação de Estádios (Sisbrace) como uma das melhores praças esportivas do Brasil.