Em recital, escola de música na Cabanagem comemora chegada do TerPaz

21/06/2019 15h51 - Atualizada em 21/06/2019 16h35
Por Carol Menezes (SECOM)

Apresentação ocorreu na escola de Música Cristo Redentor, que atende cerca de 250 crianças do bairroA Escola de Música Cristo Redentor, que atende cerca de 250 crianças moradoras da Cabanagem, abriu suas portas um dia após o feriado de Corpus Christi para o recital de encerramento do primeiro semestre de 2019. O bairro foi o primeiro a ser incluído no programa Territórios Pela Paz (TerPaz), lançado no início deste mês, pelo Governo do Estado, no intuito de fazer um enfrentamento permanente da violência, articulando ações de segurança pública e de cidadania em sete locais da Grande Belém.

Diante de pais e parentes orgulhosos e muitos aplausos, os alunos apresentaram canções da música popular em violão, flauta, violino e outros instrumentos. Aos oito anos de idade, Pedro Daniel ostentava com ar de expert sua flauta doce. Ele treina duas horas, todos os dias diversas canções.

Pedro Daniel, de 8 anos, foi um dos protagonistas do recital com sua flauta doce
"Gostei porque é fácil, é agradável de tocar. Minha vontade é continuar e fazer isso em uma orquestra, ou sozinho mesmo", contou o garoto, confirmando o desejo de seguir, profissionalmente, na música.

A escola de música existe há 20 anos e funciona dentro de um complexo, que é o Cristo Redentor, que conta, ainda, com escola estadual, creche municipal e projetos voltados também ao esporte e à saúde. A Fundação Carlos Gomes (FCG) e a ONG Moradia e Cidadania, ligada à Caixa Econômica Federal, são parceiras na cessão e manutenção dos professores que dão aulas às crianças. A presidente da entidade, Estella Cruz, comemorou a implementação do TerPaz em uma área há tempos desassistida.

"É muito importante essa parceria, trabalhar sozinho é muito difícil. O governo do Estado estando aqui dá uma força para esta comunidade tão necessitada de tudo. A gente mantém um complexo que é maravilhoso e que oferece oportunidades a quem mais precisa, que ajuda no crescimento da área. A música é um exemplo disso, porque afasta do que pode haver de ruim, eleva a alma, promove uma transformação maravilhosa", disse.

Que o diga o trombonista Anielson Ferreira, que começou sua história com a música dentro do Cristo Redentor, migrou para o Conservatório, se formou bacharel pela Universidade do Estado do Pará (Uepa), onde é professor na área, e pôde fazer mestrado em Portugal. "Tudo começou aqui, esse foi o meu início, assim como de muitos outros que estão ou passaram por aqui e tiveram esse apoio para trilhar um bom caminho", reconheceu.

A coordenadora do projeto, Socorro Meireles, e a superintendente do Carlos Gomes, Glória Caputo, convidada de honra do recitalDe acordo com a coordenadora do projeto de música, Socorro Meireles, a grande maioria deseja seguir uma profissão ligada à música. "Para muitos, isso aqui é tudo, eu preciso dizer que vou fechar os portões para que eles voltem para suas casas. Alguns convivem com familiares em situação de vulnerabilidade, então ter esse espaço, onde aprendem e se mantém afastados do que pode ser ruim, faz uma diferença muito grande", explicou. "E o TerPaz caiu como um presente, acho que a comunidade passa a ter uma sensação de pertencimento que antes não tinha", analisou.

A superintendente da FCG, professora Glória Caputo, foi a convidada de honra do recital, o que deixou os alunos ainda mais ansiosos. "O caminho é esse mesmo: encontrar novos talentos e estimular o desenvolvimento, para usufruir o melhor da escola. Para quem quer ser músico profissional, que possa ser orientado. Eu recebi esse convite e não poderia deixar de vir conhecer, ainda mais sabendo que mesmo com todas as dificuldades vocês têm a capacidade de ajudar, de se ajudar, de formar uma corrente", elogiou.