Uepa forma os primeiros 17 médicos no campus Marabá

20/06/2019 10h20 - Atualizada em 20/06/2019 10h32
Por Natália Mello (SECOM)

Os primeiros 17 médicos formados pela Universidade do Estado do Pará (Uepa) no campus Marabá, no sudeste paraense, participaram na quarta-feira (19), no Carajás Centro de Convenções, da solenidade de colação de grau. Esse momento importante para a área de saúde na região contou com as presenças do governador Helder Barbalho, também chanceler da Uepa, e do vice-governador, Lúcio Vale.

O governador Helder Barbalho entregou os diplomas aos novos médicos formados no sudeste paraenseOs diplomas foram entregues, individualmente, pelo chefe do Executivo, que esteve ao lado do reitor da instituição, Rubens Cardoso, durante toda a cerimônia. O governador afirmou, em seu pronunciamento, que os novos médicos formam uma mão de obra qualificada, pronta para servir à sociedade paraense e a todo o Brasil. "Eu quero dar os parabéns a todos aqueles que se doaram para estar aqui hoje, e que passaram os últimos seis anos estudando para estar na primeira turma de medicina de Marabá, que hoje está entrando na história. Que essa mão de obra fantástica, e necessária, possa servir à população local mais e melhor, e possa contribuir com o desenvolvimento da região", destacou.

Para o reitor Rubens Cardoso, a formatura é um grande passo para o Estado, para a universidade e para toda a sociedade. "Sabemos da dimensão continental do Estado e, na medida em que a Uepa forma em Belém, Santarém e Marabá, ajuda a trazer a área da saúde, sobretudo a medicina, para mais perto da realidade local. Então, é fundamental que este profissional esteja cada vez mais ligado ao território, à localidade que conhece, às especificidades sociais e econômicas da região. É um trabalho muito importante que o Estado faz, por meio da Uepa, ampliando a possibilidade de se interiorizar a saúde cada vez mais no Pará", pontuou o reitor.

A oradora Adriana Silva destacou a importância do curso de medicina para a regiãoVínculo – Adriana Silva, natural de Parauapebas (outro município do sudeste paraense), foi a oradora da turma, e disse estar muito feliz de participar do evento, considerado por ela importante para graduados e seus familiares. "Por muito tempo foi desacreditada essa possibilidade de formarmos aqui, e hoje mostramos que é possível formar bons médicos no interior do Estado. Acredito que profissionais do interior veem de perto o que se necessita, sabem do que a população está precisando, principalmente pelo vínculo que têm com seu município e a região", reiterou.

Atualmente, a Uepa em Marabá mantém sete turmas de medicina, e mais duas turmas serão iniciadas ainda este ano, informou o reitor.

Primeira turma - A primeira turma de medicina da Uepa em Marabá foi aberta em 2013, com período integral e duração de 12 semestres, na modalidade bacharelado. A oferta de curso na área da saúde foi uma demanda da sociedade, para atender com êxito as necessidades da população referentes aos problemas do sudeste do Pará. "Nossa região é carente de vários profissionais, e essa demanda não é diferente com relação aos profissionais da saúde. Sem dúvida, estamos contribuindo para a oferta de médicos na região. Nossa instituição sempre esteve atenta à oferta de cursos que atendam a comunidade onde está inserida, e em Marabá foram realizadas audiências públicas para verificar a demanda de cursos para a região. Como resultado dessas reuniões e da participação da gestão superior, sociedade civil, governantes, setor público e privado, iniciamos em 2012 a oferta de novos cursos, como biomedicina e medicina, e hoje, no ano de 2019, estamos entregando à sociedade médicos capacitados para atender as necessidades da população", afirmou a coordenadora do Campus da Uepa em Marabá, professora Danielle Monteiro. Segundo ela, vários órgãos privados e públicos se mobilizaram para colaborar com a oferta do curso à comunidade.Helder Barbalho disse que os novos médicos formam uma mão de obra qualificada para a sociedade paraense e todo o Brasil

O curso proporcionou melhorias e aperfeiçoamentos na Uepa, e deixa um legado formado pela criação de entidades, organizações desportivas, Centro Acadêmico de Medicina, ligas acadêmicas e a construção do prédio próprio no campus, oferecendo um espaço para estimular e beneficiar a comunidade acadêmica. "Uma faculdade de medicina agrega profissionais que não darão somente aula para os discentes do curso, mas também serão feitas pesquisas que desenvolverão diversas áreas, dependendo da atuação do professor. Isso fomenta a extensão, a pesquisa e o serviço, além de proporcionar a evolução do conhecimento na área da saúde. Portanto, esperamos ter condições de perpetuar o curso e a produção científica", disse o coordenador do curso de medicina do campus de Marabá da Uepa, professor David Tozetto.

A solenidade de formatura ocorreu no Carajás Centro de Convenções, com a presença de várias autoridadesNovidade - O curso de medicina em Marabá foi uma das grandes novidades do Processo Seletivo 2013 da Uepa com a oferta de 20 vagas, divididas entre o Processo Seletivo (Prosel) e o Programa de Ingresso Seriado (Prise), com início das aulas no 2º semestre e carga horária de 8.060 horas.

O curso chegou ao sudeste do Pará para fortalecer a formação de mão de obra qualificada na área da saúde, capaz de desenvolver ações de promoção, prevenção e reabilitação da saúde individual e coletiva, e realizando uma prática de forma integrada e continuada com o sistema de saúde.