Sejudh leva ação de cidadania e exposição fotográfica ao Marajó

19/06/2019 19h02 - Atualizada em 19/06/2019 22h56
Por Claudiane Santiago (SEJUDH)

As comunidades rurais do Marajó foram beneficiadas com os serviços gratuitos de emissão de RG e Carteira de Trabalho promovida pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), nesta terça e quarta-feira (18 e 19).

Emissão gratuita de RG e carteira de trabalho beneficiou moradores de Soure e Salvaterra A ação de cidadania ocorreu nas cidades de Salvaterra e Soure, com 120 emissões de RG e 80 CTPS por cada localidade. A programação começou no dia 18, na comunidade Vila União, em Salvaterra, com a adesão massiva da população, que lotou as dependências do espaço onde ocorreu a ação.

Nesta quarta-feira (19), foi a vez dos quilombolas de Soure receberem os atendimentos no campus da Universidade Federal do Pará (UFPA) do município. A iniciativa é uma ação integrada entre o Programa Raízes e a Coordenadoria de Cidadania e Direitos Humanos, da Sejudh.

"A ação de cidadania foi um sucesso aqui no Marajó, com grande aceitação da população. Sabemos das necessidades da localidade e estamos aqui para garantir às comunidades tradicionais da região acesso aos serviços essenciais", destacou o titular da Sejudh, Rogério Barra.

Para a dona de casa Zilda Dias Nascimento Miranda, 34 anos, remanescente de quilombolas, o benefício é uma ação democrática. "É muito bom poder tirar meu RG na hora, essa ação é um ato de cidadania para uma comunidade tão esquecida".A ação de cidadania também beneficiou a população quilombola

Exposição
Como parte da programação, o secretário formalizou a doação de um acervo fotográfico ao Museu Quilombola do Marajó. O material é de autoria do fotógrafo Mauro Fernandes, que retratou o cotidiano das populações marajoara e integra a exposição "Viver e (re)existir em Quilombos do Marajó".

A mostra remonta sobre o modo de viver dos remanescentes de quilombos dos municípios marajoaras de Salvaterra, Soure e Cachoeira do Ariri. A iniciativa é apoiada pela Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos do Estado do Pará (Sejudh) e pelo Instituto Mamirauá, organização fomentada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Parte das obras está no Tribunal Regional do Trabalho, em Belém, até o próximo dia 30 junho. Posteriormente, o acervo também será doado ao Museu do Marajó, como exposição permanente na localidade. "Nossa missão é garantir os direitos e o acesso a bens e serviços a cidadãos e grupos em situação de vulnerabilidade social, bem como promover ações que fomentam a cidadania e o bem-estar da população em todo o Estado", finalizou o secretário.