Operação descobre destino de madeiras ilegalmente extraídas

19/06/2019 16h04 - Atualizada em 20/06/2019 10h42
Por Luiz Cláudio (PC)

Nove pessoas foram presas em flagrante. Equipamentos, diversos tipo de madeiras e até munições foram apreendidos A Polícia Civil do Pará deflagrou, na madrugada de terça-feira (17), operação "Madeira de Lei", resultando nas prisões em flagrante de nove acusados. A empresa teve suas atividades paralisadas, para a medição de toda a madeira ilegal adquirida. A operação ocorreu na área de mata localizada na zona rural do município de Abel Figueiredo e em Rondon do Pará.

Os presos são: André de Jesus dos Santos, Carlos Barros, Edivaldo Barbosa Santos, Francinei Lopes da Silva, José Nilson Felizardo dos Santos, Lorisvaldo Lopes dos Santos, Manoel Messias Vitorio Gonçalves, Roberto da Rocha e Wesley da Silva e Silva

Análises feitas a partir de imagens de satélites serão utilizadas para o cálculo da área devastada e, consequentemente, da multa a ser aplicada, cujo valor é de R$ 5 mil por hectare devastado. Além das sanções penais cabíveis, a empresa e seus sócios deverão responder administrativamente.

Ação foi realizada pelas equipes de Marabá, Abel Figueiredo e Rondon do Pará, em parceria com o IbamaA ação foi realizada pelas equipes da Polícia Civil das cidades de Marabá, Abel Figueiredo e Rondon do Pará, em parceria com o Instituto Brasileiro do Meio-Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), sob coordenação do delegado Élcio de Deus.

Segundo as equipes, várias viaturas policiais e de agentes de fiscalização do Ibama tomaram, simultaneamente, a área de mata localizada na zona rural de Abel Figueiredo, e o pátio da Indústria e Comércio de Madeira "Moria Eireli", no município de Rondon do Pará.

Após a realização de investigações, foi dado conhecimento sobre a origem, o percurso e o destino de madeiras ilegalmente extraídas de uma reserva de domínio público em Abel Figueiredo. Além disso, durante o processo, foi dado esclarecimentos acerca de quem seriam os responsáveis pelo gerenciamento do ato criminoso.

Foram apreendidos, ainda, 3 tratores de esteiras, 2 carregadeiras, 2 caminhões, 5 motosserras, diversos tipos de madeiras, espingardas, munições e outros objetos.