Santa Casa forma turma de mestrado em Gestão, Saúde e Adoecimento

17/06/2019 18h06 - Atualizada em 17/06/2019 18h46
Por Helder Ribeiro (SANTA CASA)

A Santa Casa de Misericórdia do Pará formou mais uma turma de mestrado em Gestão, Saúde e Adoecimento. São 18 profissionais, sendo oito da Fundação e dez de outras instituições, que iniciaram os estudos em 2016. O encerramento das atividades ocorreu na última sexta-feira (14).

Fundação é a única não universitária com pós graduação em nível de mestrado
Segundo o coordenador do mestrado profissional, o médico Silvestre Savino Neto, a pós graduação na instituição é peculiar no Brasil, já que acredita-se que a Fundação é a única não universitária com o curso em nível de mestrado. "Por si só, isso já é algo relevante. Por meio do mestrado, oferecermos, aos funcionários da Santa Casa, oportunidade de qualificação, o que melhora a qualidade do serviço prestado pela instituição à sociedade, que é o nosso maior cliente", enfatiza Silvestre.

O mestrado foi direcionado ao profissional de saúde, que realiza um estudo, identificando um determinado problema na sua área de atuação e, posteriormente, busca uma solução. A partir daí, é elaborado um trabalho que possa ser utilizado imediatamente na sua atividade profissional, melhorando o funcionamento daquele setor ou da instituição em que ele está trabalhando.

A diretora de Ensino e Pesquisa da Fundação Santa Casa, Lena Alencar, falou sobre a importância e desafio de formar esses mestres. "Para nós, foi um desafio conseguir mais vagas para poder formar mais mestres e doutores, e, assim, poder melhorar a nossa educação e saúde. Por isso, é tão importante ter esses profissionais saindo como mestres, principalmente, hoje que vivemos uma carência muito grande na atenção ao ensino e a pesquisa", diz Lena.

Formaram 18 profissionais, sendo oito da Santa Casa e dez de outras instituiçõesA médica e mestranda Cláudia Campos Coelho França falou do imenso orgulho que sente em ter participado do curso. Ela conta que pretende usar o conhecimento adquirido para prestar uma melhor assistência à sociedade. "A Santa Casa para mim é uma escola, fiz aqui o internato, a minha residência médica, sou funcionária efetiva e, agora, conclui meu mestrado profissional", diz Cláudia.

"Esse aprendizado é também para o pré-natal de gestação de alto risco, que são protocolos adotados pela Fundação. É por isso, que tenho muito honra, orgulho e um prazer imenso de poder contribuir para a população, em particular às nossas grávidas".