Projeto disponibiliza imagens ao vivo das principais vias de Belém

15/06/2019 11h36 - Atualizada em 15/06/2019 14h54
Por Edenice Pereira (CIOP)

Serviço pode ser acessado pelo site do Ciop, que foi lançado durantes as celebrações de 60 anos da SegupAntes mesmo de sair de casa, a população agora pode observar online as principais vias de tráfego da Região Metropolitana de Belém (RMB) e planejar seu melhor trajeto de trânsito. Nesta sexta-feira (14), o Centro Integrado de Operações (Ciop) lançou seu site institucional, que engloba o projeto "Ciop no Trânsito". O objetivo é contribuir com a população, em especial com os condutores de veículos, para mostrar vias e evitar o tráfego lento em localizações estratégicas da RMB.

A solenidade de lançamento, realizada no plenário da Segup, foi conduzida pelo secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado, e pelo diretor do Ciop, coronel PM Luiz Carlos Rayol de Oliveira, que apresentaram para a imprensa paraense a nova ferramenta.

O "Ciop no Trânsito" está dentro do site institucional do Centro, lançado na comemoração alusiva dos 60 anos da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup). "Trata-se de mais um projeto que garante à sociedade e aos órgãos de imprensa o acesso aos principais corredores de Belém, que mostram o fluxo de trânsito, manifestações, ou algo que seja capitado pela câmera, auxiliando na tomada de decisão no dia a dia do cidadão", explica o titular da Segup, Ualame Machado.

Titular da Segup, Ualame Machado, destacou os benefícios para o cidadão com a nova ferramentaO serviço disponibiliza, virtualmente, imagens ao vivo de nove câmeras situadas nos principais corredores de trânsito da RMB, com visualização online disponível por 24 horas. Todas as imagens são oriundas de câmeras monitoradas pelo Ciop, que também é responsável pelo videomonitoramento no Estado.

Dados - Para o diretor do Centro, o site proporciona, ainda, dados estatísticos para a imprensa e para todo cidadão, como transparência na gestão, além desse novo projeto, para contribuir na qualidade de vida das pessoas, evitando demora no trânsito. "É um serviço que convida os motoristas, motociclistas, ciclistas e demais condutores a visualizar, em tempo real, as imagens que mostram a situação do tráfego nessas vias, o que permite que o condutor escolha o melhor caminho para chegar ao seu destino", explica o gestor.

No site, está disponível, também, um espaço específico para fazer downloads de números oficiais de balanços mensal, trimestral e semestral da central de chamada do 190 e do videomonitoramento, serviços realizados na RMB e em alguns municípios do Pará, onde se tem os Núcleos Integrados de Operações (NIOp), como em Altamira, Capanema, Castanhal, Conceição do Araguaia, Marabá, Paragominas, Santarém e Centro de Atendimento e Despacho em Salinópolis.

Site proporciona, ainda, dados estatísticos para a imprensa e para todo cidadãoSistema de câmeras - As nove câmeras, com visualização disponível para qualquer internauta, estão instaladas em postes a seis metros de altura, têm um giro de 360 graus e permitem observar um espaço de até um quilômetro. Além de auxiliar no monitoramento do trânsito, os equipamentos também têm o papel estratégico em investigações criminais, o que permite interromper a transmissão online em determinada necessidade, a fim de preservar a identidade de cidadãos e facilitar o trabalho das equipes de segurança.

Ciop – O Ciop é um centro integrado ao Sistema de Estado de Segurança Pública e Defesa Social e tem como missão mediar a comunicação entre o cidadão e os órgãos do sistema, possibilitando o registro de ocorrências de urgência e emergência na área de segurança pública, permitindo o despacho oportuno de guarnições com o objetivo de promover um atendimento ágil e estratégico.

Atualmente, o Ciop realiza o videomonitoramento no Estado, a partir de 147 na Região Metropolitana de Belém e de 134 distribuídas no interior, especificamente em Altamira (50), Paragominas (32), Santarém (17), Salinópolis (10), Castanhal (20) e Capanema (5). O serviço ocorre 24 horas e todos os locais monitorados são definidos a partir de registros de ocorrência em conjunto pelas seis instituições que compõem a Segurança Pública do Estado.