Executivos da Jica constatam avanços nas obras de requalificação da Nova BR

14/06/2019 17h55 - Atualizada em 14/06/2019 18h45
Por Michelle Daniel (NGTM)

A missão técnica da Jica viu de perto o andamento das obras da Nova BRNa terceira visita a Belém, representantes da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) inspecionaram o andamento das obras de requalificação da Rodovia BR-316, executadas há cinco meses pelo Governo do Pará. A agenda que os técnicos japoneses cumpriram na quarta (12) e quinta-feira (13) incluiu, também, reuniões técnicas com diretores do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM) – responsável pela execução dos trabalhos –, com a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan).

Na manhã do primeiro dia de agenda, os executivos se reuniram com diretores do NGTM e discutiram questões relativas ao andamento das obras e cronograma geral. À tarde, foi apresentada a metodologia que será adotada na requalificação dos estudos de viabilidade econômica para as obras dos novos viadutos da BR e da Rua Ananin, além do processo de criação da Agência de Transporte Metropolitano (AGTran), discutido entre representantes de órgãos estaduais.

A futura agência, que passará pela aprovação da Assembleia Legislativa, será responsável pela regulação, planejamento e gestão da operação do Transporte Rápido Metropolitano, assim como a licitação do sistema integrado de transporte metropolitano. As atribuições, objetivos e composição do quadro técnico foram expostos à comitiva da Jica, além do processo após as obras, para que o conjunto executado passe a funcionar imediatamente para a população.

As obras de requalificação da rodovia são realizadas há cinco mesesEntre os desafios que o governo do Estado está enfrentado para acelerar as obras é o remanejamento de interferências, basicamente a rede elétrica e de telecomunicação dos postes e subterrâneas ao longo da rodovia. Cerca de 30 empresas foram identificadas e solicitadas pelo NGTM para que realizem o trabalho. No entanto, o processo tem sido lento, o que impede o avanço de outras frentes de trabalho, como passarelas e sistema de drenagem, que antecedem a repavimentação da via.

"É da maior importância que a Jica acompanhe de perto todas as nossas dificuldades em relação ao cumprimento de cronograma. Hoje, os analistas da agência japonesa têm o perfeito entendimento dos problemas que tivemos, a começar pelo período chuvoso, onde tivemos o inverno mais rigoroso dos últimos 30 anos, afetando algumas frentes de serviço que poderiam estar adiantadas, mas que por envolverem terraplenagem, escavações e movimentação de terra ficaram impossibilitadas de começar. Também essas interferências e a necessidade de alguns ajustes no projeto se devem a uma série de interferências que entraram na rodovia após o projeto concluído", explicou o engenheiro Eduardo Ribeiro, diretor-geral do NGTM.

De acordo com o coordenador de Projetos da Jica, Mauro Inoue, o objetivo da visita foi acompanhar o A equipe da Jica conheceu as dificuldades enfrentadas para acelerar as obrasandamento das obras e reportar à matriz, no Japão, os avanços constatados. "Isso faz parte do nosso trabalho que, apesar de sermos um banco, temos a obrigação de reportar isso à população japonesa", ressaltou Mauro Inoue, acrescentando que "o nosso maior objetivo é dar melhores condições de transporte de mobilidade à população daqui e, como é uma obra financiada pelo governo japonês, outra questão que constatamos foi em relação à segurança das obras. Todas as nossas solicitações estão sendo atendida,s e também verificamos que não houve acidentes, somente incidentes. Ficamos satisfeitos".

Representante da Jica no Brasil, Yutaru Tanaka participou de todas as visitas da comitiva a Belém. "Nesta terceira vez, em especial, pude ver o progresso das obras. Ainda temos alguns assuntos para resolver, mas acredito que podemos avançar junto com o NGTM. A expectativa é positiva. Fiquei feliz porque há um trabalho grande com a segurança e sustentabilidade. Fico muito tranquilo", disse Yutaru Tanaka.

Os executivos japoneses também se reúnem com gestores de órgãos estaduaisA partir de agora, o NGTM enviará à Jica, mensalmente, relatório do andamento das obras. A próxima missão da Agência na capital paraense está prevista para agosto.