Governo prioriza segurança, diminui índices de violência e desvenda crimes rapidamente

15/06/2019 10h00 - Atualizada em 17/06/2019 10h39
Por Laís Menezes (SEGUP)

Uma das prioridades do Governo do Pará é o combate a criminalidade e a redução constante dos índices de violência em todo o Estado. Por isso, desde o início da atual gestão, foram realizadas inúmeras ações para que o objetivo principal seja atendido. Investimentos em tecnologia de perícia, em ações de inteligência e investigação criminal, aumento do efetivo policial nas ruas e a chegada da Força Nacional são algumas das ações adotadas pelo Governo, por meio da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), para diminuir a criminalidade e trazer mais segurança à população.

Os resultados têm aparecido. Além das reduções nos números de crimes violentos letais intencionais, de janeiro a maio deste ano em comparação com o ano passado, a celeridade nas apurações dos delitos é uma das respostas que o Governo tem dado à sociedade. Como exemplo disso, a rapidez com que foram desvendados crimes de grande repercussão, como as 11 mortes no bairro do Guamá, em Belém, ocorridas no dia 19 de maio, que levou à identificação e prisão de oito pessoas e o indiciamento de outra em apenas uma semana.

Outro caso que teve breve esclarecimento foi a morte do advogado João Vieira Bezerra, ocorrida no dia 8 de junho, na cidade de Novo Repartimento, no sudeste paraense. Em menos de 24h do assassinato, a polícia chegou ao apontado como autor do crime e realizou sua prisão no dia seguinte.

A rapidez na resolução de crimes também acontece nos casos que envolvem violência contra agentes da segurança pública. Em menos de 6 horas, todas as mortes de policiais foram elucidadas. O desenvolvimento de programas que geram mais efetividade no atendimento como o Disque Denúncia, 190 e SOS PM contribuem para a prevenção e rápida apuração.

Ampliação do efetivo e mais policiais nas ruas

No trabalho ostensivo, a segurança pública atua em diversas frentes, entre elas está a Operação Polícia Mais Forte. Iniciada no dia 12 de janeiro, a operação é realiza por centenas de policiais que se dividem em 60 viaturas. Todos esses veículos eram utilizados apenas em serviços administrativos e foram realocadas para atividade operacional. Os policiais da "Polícia Mais Forte" atuam nos horários em que há maior incidência de crimes, aumentando o efetivo em mais de 50% na Região Metropolitana de Belém, além do acréscimo de aproximadamente 180 policiais militares, com o pagamento de jornada extraordinária.

As ações da Força Nacional (FN) iniciaram no dia 25 de Março em sete áreas da Região Metropolitana, sendo elas: Jurunas, Guamá, Terra Firme, Cabanagem e Benguí em Belém; Icui Guajará em Ananindeua e o bairro de Nova União, em Marituba. Assim como os locais de atuação, o horário em que a Força Nacional desenvolve as atividades Policiais é dinâmico e sofre alterações de acordo com a mancha criminal.

Ao todo, 200 agentes desenvolvem ações preventivas e ostensivas em áreas onde a violência apresenta números elevados. Todo o trabalho é feito de forma integrada com os militares do Comando de Policiamento da Capital I (CPCI), do Comando de Policiamento da Capital II (CPCII) e do Comando de Policiamento Regional Metropolitano (CPRM), além do apoio da Polícia Civil, do Departamento de Trânsito do Estado (Detran), do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) e setores de inteligência dos órgãos da segurança pública.

Além dos militares, as ações também são realizadas por 74 policiais pertencentes à Polícia Judiciária da Força Nacional, composta por policiais civis e peritos, que se somam ao efetivo local para o trabalho de elucidações de crimes, totalizando 274 agentes da FN no Pará.

"Todo o nosso empenho, desde o início do ano, tem sido para que os crimes não ocorram, por isso investimos muito na área da segurança com atuações mais ostensivas e preventivas com a operação Polícia Mais Forte, a Força Nacional, entre outras medidas que já demonstram a redução na violência do Estado. Mas apesar disso, ainda não temos como evitar todos os crimes, porém quando ocorrerem, nossa postura é a de dar a resposta mais rápida para sociedade e mostrar que ninguém ficará impune, pois os crimes se instalam e ficam cada vez mais corriqueiros a medida que prevalece uma sensação de impunidade e isso não irá ocorrer no Pará. Todo crime será investigado e punido com o rigor da lei da forma mais célere possível", afirmou o secretário de segurança pública, Ualame Machado.

Outras medidas - A partir do dia 25 de junho, novos soldados da Polícia Militar estarão nas ruas para atuar nas ações de policiamento preventivo, ostensivo e repressivo no Estado. Serão 430 a mais na Região Metropolitana de Belém e 100 na região sudeste do Pará, totalizando 530 novos policiais, que irão potencializar as ações de combate ao crime, em substituição aos agentes da Força Nacional.

Resultados - Mesmo com o caso das mortes registradas no bairro do Guamá, o número de homicídios durante o mês de maio de 2019 reduziu em 27% se comparados aos registrados em maio de 2018, em todo o Estado.

De acordo com os dados divulgados, em maio de 2018 foram registrados 343 homicídios, já em maio deste ano foram 249, sendo, inclusive, a terceira redução mais significativa registrada em relação aos crimes de homicídio praticados durante maio desde o ano de 2010.

Nos casos de roubos, a redução foi de 29%, com 2.557 casos a menos registrados neste ano. Os índices apontam 8.908 ocorrências em maio de 2018 e 6.351 casos registrados no mesmo mês em 2019, apontando também maior redução na taxa de roubos comparando todos os meses de maio, desde o ano de 2010.

Os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), índice que envolve dados gerais de homicídios, latrocínios e lesão corporal seguida de morte, apontam redução em 27% nos casos. Em maio de 2018 foram 362 ocorrências registradas, enquanto que no mesmo período de 2019 foram 264.

Leia também:

- Roubo de carros cai 53% no Pará de janeiro a maio de 2019
- Usuários de transporte público percebem nas ruas redução de roubos a coletivos
- Segup anuncia redução de crimes em segundo mês de gestão

Dado Acumulado – No comparativo dos números de 1º de janeiro a 31 de maio dos anos de 2018 e 2019, os registros de homicídio também apresentam redução de 27%. Com o resguardo de 445 ações, tendo sido registradas, nesse período, no ano passado, 1.668 ocorrências e 1.223, no mesmo período em 2019.

Em relação ao número de roubos no Estado foram computados 48.011 de 1º de janeiro a 31 de maio de 2018, contra 35.676 no mesmo período deste ano, reduzindo 29%.

Região Metropolitana de Belém - A redução dos registros de homicídios na Região Metropolitana de Belém, no período de 1° a 31 de maio, em comparação ao ano de 2018 e 2019, corresponde a 39%. Em 2018, o número de homicídios totalizou 129 e este ano, 79, quando 59 vidas foram preservadas.
No período de 1º de janeiro a 31 de maio, ao comparar os anos de 2018 e 2019, a redução dos homicídios chegou a 47%, com 309 mortes a menos. No ano passado, 657 homicídios foram computados e 348 este ano.

Os casos de roubos, ao comparar maio de 2018 e maio 2019, reduziram em 31%, com 5.440 registros em 2018 e 3.693 este ano, o que resultou em 1.747 roubos a menos.