Emater e Embrapa discutem mapeamento de áreas produtoras

13/06/2019 14h45 - Atualizada em 13/06/2019 15h29
Por Rodrigo Reis (EMATER)

Pará é hoje o maior produtor do fruto do Brasil e tem feito investimento na área de assistência ao agricultorA Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) recebeu, nesta quinta-feira (13), na sede do escritório central, em Marituba, representantes da Embrapa Amazônia Oriental, para discutir as ações do projeto Mapcacau, que tem como objetivo mapear as áreas de produção de cacau no Pará. O Estado é, hoje, o maior produtor do Brasil e tem investido maciçamente no trabalho de assistência ao agricultor.

O projeto Mapcacau é fruto de um Acordo de Cooperação Técnica (ACT), assinado no primeiro semestre de 2018 e tem previsão de término em março do ano que vem. Além de mapear áreas produtivas, o objetivo é desenvolver e transferir tecnologias. A presidente da Emater, Cleide Amorim, explica que a parceria com a Embrapa é fundamental para dar todo o apoio que o agricultor merece, já que a produção, em sua maioria, é familiar.

"A Emater vai passar, para a Embrapa, todas as informações necessárias sobre os produtores, com objetivo de desenvolver uma agricultura de mais qualidade. Futuramente, vamos trabalhar também com o açaí", disse.

De acordo com o chefe-geral da Embrapa Amazônia Oriental, Adriano Venturieri, a parceria tem importância significativa, já que, "a Emater conhece o território paraense como ninguém. Então, vamos juntar forças e colocaremos, à disposição do órgão estadual, laboratórios equipados para ajudar no processo de identificação, dentro do contexto do geoprocessamento de dados", explicou.

CAR – Na oportunidade, os representantes da Embrapa Amazônia Oriental visitaram o Núcleo de Geotecnologia, Diagnóstico e Rastreabilidade (NGDR/Labgeo), da Emater, que administra o banco de dados do Cadastro Ambiental Rural (CAR). O técnico agropecuário Wanderley Pereira explicou aos presentes sobre a capacidade de cobertura do CAR no Estado. "Com a nossa base, conseguimos realizar análises, com muita propriedade e segurança, sobre controle, monitoramento e combate ao desmatamento nas propriedades rurais. Nosso acesso ao CAR é amplo e abrange todo o Pará", disse.