Estado participa da 1ª reunião sobre destinação de resíduos após decisão judicial

05/06/2019 22h09 - Atualizada em 06/06/2019 12h43
Por Ronan Frias (SEMAS)

A destinação final dos resíduos coletados em Belém, Ananindeua e Marituba (municípios da Região Metropolitana), responsabilidade das prefeituras, foi um dos principais temas abordados em reunião realizada nesta quarta-feira (5), na sede da Prefeitura de Belém. Também foi abordada a possibilidade de contratação de uma instituição para periciar o valor cobrado pela empresa responsável pelo aterro sanitário em Marituba por tonelada de resíduos recebida.

Esse foi o primeiro encontro realizado depois da decisão da Justiça estadual, que determinou na última sexta-feira (31) que a empresa Guamá, cujo contrato terminou em 31 de maio, receba o lixo dos três municípios por mais quatro meses. "A Procuradoria-Geral do Estado continua intermediando reuniões para que os municípios cheguem a uma solução efetiva, no período que foi dado", disse o procurador-geral Ricardo Sefer.

Além da PGE, participaram da reunião representantes da Casa Civil da Governadoria e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), além dos prefeitos de Belém, Zenaldo Coutinho, e de Ananindeua, Manoel Pioneiro, e representantes das Câmaras Municipais de Ananindeua e Belém, e da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa).

Para o secretário de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mauro Ó de Almeida, é importante buscar soluções duradouras para a destinação dos resíduos. "É preciso uma diretriz única, que solucione a situação e garanta a destinação também por longo prazo", ressaltou.

Nesta quinta-feira (06), ocorrerá nova rodada de debates sobre a questão. Representantes de instituições de ensino devem participar, com o objetivo de contribuir com ideias que contribuam para a solução do problema.