Seminário debate educação, saúde e políticas públicas para indígenas

25/04/2019 16h33
Por Redação - Agência PA (SECOM)

"Vivemos um momento político que limita cada vez mais os direitos indígenas, por isso a importância de colocar os parentes como produtores de conhecimento na universidade, para que respeitem nossa tradição, nossa cultura". Com essas palavras, o professor indígena Tiapé Suruí, egresso da primeira turma de Licenciatura Intercultural Indígena da Uepa, iniciou o debate do VIII Seminário do Grupo de Estudos Indígenas da Amazônia, realizado nesta quinta-feira (25), com programação que segue até amanhã (26) no auditório da Reitoria da Universidade do Estado do Pará (Uepa).

Confira a programação completa do VIII Seminário do Grupo de Estudos Indígenas da Amazônia aqui

A mesa redonda desta manhã, intitulada"Intelectuais Indígenas: protagonistas na produção do conhecimento científico", foi composta pelos professores e alunos indígenas Murué Suruí, Tiapé Suruí, Concimar Sompré e Nivaldo Tembé, que dividiram experiências sobre ensino superior com pesquisadores e alunos da área.

Os povos indígenas têm direito a uma educação escolar específica, diferenciada, intercultural, bilíngue/multilíngue e comunitária, conforme define a legislação nacional que fundamenta a educação escolar indígena. Seguindo o regime de colaboração, posto pela Constituição Federal de 1988 e pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), a coordenação nacional dessas políticas é de competência do Ministério da Educação (MEC), cabendo aos estados e municípios a execução para a garantia deste direito dos povos indígenas.

A professora Murué Suruí, também egressa da primeira turma de Licenciatura Intercultural Indígena da Uepa, defendeu a adequação das instituições de ensino superior à realidade dos povos. "Acho importante mostrar nosso lado como aluno indígena, nossos saberes, nossos conhecimentos em relação à universidade. Como aluna, foi muito importante, por exemplo, o respeito da Uepa em ir até nosso povo, e podermos fazer essa troca de conhecimentos no próprio lugar em que moramos", afirmou.

Migração – Um painel para discutir a migração Warao no Estado é uma das novidades do VIII Seminário Grupo de Estudos Indígenas da Amazônia (GEIA). O encontro com representantes de instituições correlatas ocorre às 16h desta quinta-feira e contará com a presença do Procurador da República, Felipe de Moura Palha e Silva, além das professoras Adriana Silva e Júlia Cleide de Miranda.

Para a professora Joelma Alencar, líder do Grupo de Estudos e coordenadora do Núcleo de Formação Indígena (Nufi) da Uepa, a importância do evento está na visibilidade da questão indígena frente aos desafios da educação intercultural. "O seminário possibilita a cada ano a socialização e a visibilidade da produção e do conhecimento nas temáticas indígenas desenvolvidas pelo grupo, além de potencializar a formação dos pesquisadores de povos indígenas", defende.

Serviço:

VIII Seminário Grupo de Estudos Indígenas da Amazônia (GEIA)

Data: quinta e sexta-feiras (25 e 26)

Local: auditório da Reitoria. Rua do Una, nº 156. Telégrafo.

Mais informações: Núcleo de Formação Indígena (Nufi)

Telefone: (91) 3299 2235