Sistema de captação de água beneficia moradores da Ilha das Onças

15/03/2019 16h16
Por Redação - Agência PA (SECOM)

A integração do conhecimento acadêmico com a experiência de vida dos moradores da Ilha das Onças deu forma ao projeto “Segurança hídrica e saneamento básico descentralizado por meio de tecnologias sociais”. O resultado do projeto foi a construção de sistemas de captação de água da chuva e banheiros ecológicos para 21 famílias da ilha, localizada no município de Barcarena. Nesta quinta-feira (14), foi feito o encerramento da implantação dessas tecnologias sociais e o lançamento das cartilhas que mostram todo o processo de criação e construção das cisternas e banheiros.

A iniciativa é desenvolvida por meio de um convênio entre a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e a Universidade Federal da Amazônia (Ufra). Para Leonadro Freitas, da coordenadoria de Tecnologias para Desenvolvimento Social (CTDS) da Sectet, tecnologia social é encontrar soluções reais para problemas reais.

Ele enfatizou a importância da construção conjunta das tecnologias implementadas na ilha, que contou com a participação efetiva dos moradores e das equipes da Ufra e da Sectet. Depois de sete anos trabalhando com a comunidade, vivenciando a realidade de cada família e fazendo as adaptações que cada casa exigiu, a professora Vânia Neu, bióloga da Ufra e coordenadora do projeto, agradeceu emocionada o empenho de todos.

“Foi o resultado do trabalho em equipe. Muitas pessoas passaram pelo projeto e deram sua contribuição. Não conseguiríamos realizar sem a participação ativa e efetiva da comunidade. Muito obrigada a todos”, disse a professora, sem conseguir conter a emoção.

Toda a história da implantação das cisternas e dos banheiros é contada em duas cartilhas ricamente ilustradas, que foram entregues aos moradores. “São as nossas primeiras cartilhas ribeirinhas e não haveria sentido fazer o lançamento delas em outro local antes daqui. É muito gratificante participar desse momento”, enfatizou Heloísa Brasil, gerente da Editora da Ufra.

A vice-reitora da Universidade Rural da Amazônia, Janae Gonçalves, ratificou a importância da integração entre o conhecimento científico e a realidade social. “Estou vivendo um momento mágico”, disse a vice-reitora, referindo-se à concretização do projeto.

A reunião entre os representantes das instituições e a comunidade foi realizada na casa de Celso de Jesus e Marineia Benjamim. A residência do casal é toda decorada com artesanato feito por eles a partir de produtos da floresta e materiais recicláveis.

“O conhecimento traz a mudança. O projeto mudou a minha vida”, agradeceu o ribeirinho que construiu dentro de casa dois banheiros ecológicos e o sistema de captação e tratamento de água da chuva. “A nossa água é de qualidade, testada e comprovada”, comemorou Celso.