Cerimônia de posse marca transição de diretoria da Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá

18/01/2019 10h35
Por Redação - Agência PA (SECOM)

A Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, organização social responsável pela gestão do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, realizou na quinta-feira (17), a cerimônia de posse de sua nova diretoria executiva, eleita pelo conselho curador da instituição para o triênio 2019/2021. O evento foi realizado no auditório do prédio "Espaço Inovação", em Belém. Mais de 100 pessoas, entre autoridades do governo, da comunidade acadêmica e representantes do ecossistema de inovação do estado do Pará participaram do evento

Rodrigo Quites Reis, doutor em ciência da computação e professor titular da Universidade Federal do Pará (UFPA) e Arnaldo José de Miranda, mestre em engenharia elétrica e professor da Universidade da Amazônia (Unama), assumiram o cargo de diretor presidente e diretor administrativo financeiro, respectivamente.

Estiveram presentes o titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet),Carlos Maneschy; o titular da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Mauro O’ de Almeida; os reitores da UFPA, Emmanuel Tourinho; da UEPA, Rubens Cardoso; do IFPA, Claudio Alex; a presidente do Museu Paraense Emílio Goeldi, Ana Albernaz; a pro-reitora de pesquisa e pós-graduação da Unama,  Ana Maria Vasconcelos; o diretor superintendente do Sebrae Pará, Rubens Magno; o chefe-geral da Embrapa Amazônia Oriental, Adriano Venturieri; a diretora da Fiepa, Maria de Fátima Chamma; dentre outros.

O titular da Sectet, Carlos Maneschy, falou sobre a importância do conhecimento para a diversificação da matriz produtora do Estado. “O Pará é um grande exportador, dado a importância da atividade e dos grandes projetos aqui instalados. Por isso, é preciso pensar na verticalização dessa produção a fim de permitir a distribuição de toda a riqueza que essas iniciativas são capazes de gerar. As Instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTs) têm um papel fundamental nisso e o Estado será um grande facilitador para que ações neste sentido possam ser implantadas”, afirmou.

O diretor da Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá entre 2010 a 2018, Antônio Jorge Gomes Abelém, na ocasião também representando o Conselho Curador da instituição, fez um balanço de sua gestão, destacando as principais conquistas do parque tecnológico. “Do zero, estruturamos a Fundação Guamá e criamos todos os processos, normas e procedimentos. Revisamos e atualizamos os planos estratégicos do parque e trabalhamos para a implantação de uma estrutura física e de serviços tecnológicos de apoio ao empreendedorismo, formalizando importantes parcerias para a consolidação do Parque e a atração de empreendimentos”, falou.

O reitor da Universidade Federal do Pará, Emmanuel Tourinho, deu as boas-vindas ao presidente eleito e agradeceu o trabalho desenvolvido pela gestão anterior. “O Parque avançou muito, tanto do ponto de vista da estrutura física, quanto dos projetos e iniciativas instalados aqui, contribuindo para a construção de um sistema de produção de conhecimento e formação de recursos humanos efetivamente à altura dos grandes desafios econômicos e sociais”, disse o reitor.

Já empossado, o diretor presidente da Fundação Guamá, Rodrigo Quites Reis, destacou o compromisso de aumentar a capacidade do parque à potência máxima. “Pretendemos trabalhar o máximo possível de forma colaborativa, ampliando o diálogo e as parcerias com os públicos internos e externos, tanto do setor público quanto do setor privado. Nosso plano é de criar e fortalecer agendas em novos segmentos tecnológicos que sejam, ao mesmo tempo, comprometidos com projetos de desenvolvimento econômico, social e ambiental, contribuindo assim com as questões prioritárias e de interesse público para o estado do Pará e da região amazônica”, afirmou.

Sobre o PCT Guamá – Resultante da parceria entre as Universidades Federal do Pará (UFPA) e Federal Rural da Amazônia (UFRA) e o Governo do Pará, o PCT Guamá foi o primeiro, e permanece como único, parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia.

Ele tem como principal objetivo estimular a pesquisa aplicada, o empreendedorismo inovador, a prestação de serviços e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos.

Com uma área de 72 mil metros quadrados, reúne atualmente 14 centros e laboratórios tecnológicos, 22 empresas, 23 startups, instituições de pesquisa e grupos residentes, todos ligados às áreas estratégicas de atuação, que são Biotecnologia; Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); Energia; Tecnologia Ambiental e Tecnologia Mineral.

Situado entre a UFPA e a UFRA, apresenta espaços voltados para a instalação de pequenos e médios empreendimentos de base tecnológica, laboratórios e centros de pesquisa e desenvolvimento, assim como de empreendimentos nascentes (startups) e temporários.

A Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, por sua vez, foi qualificada para realizar a gestão administrativa, financeira, física e ambiental do PCT Guamá. Desde 2009 a Fundação é mantida pelo Governo do Estado, por meio de contrato com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica – Sectet.

Mais informações: www.pctguama.org.br