PCT Guamá orienta empresários sobre exportação

15/02/2019 12h28
Por Redação - Agência PA (SECOM)

O Programa de Qualificação para Exportação da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (PEIEX/Apex-Brasil), executado no estado do Pará pelo Parque de Ciência e Tecnologia Guamá nas cidades de Belém, Marabá e Santarém, está com agenda aberta para atendimentos à empresários que desejam exportar pela primeira vez ou expandir a sua atuação no mercado internacional. A participação no programa é gratuita e os agendamentos podem ser realizados por meio do telefone (91) 3321-8910 ou peiex.pa.geral@fundacaoguama.org.br.

Este é o segundo ciclo do programa realizado pelo Parque de Ciência e Tecnologia Guamá. De acordo com o coordenador estadual do PEIEX, Milksom Campelo, a metodologia foi renovada para garantir atendimento mais assertivo ao empresário. “Na primeira versão tivemos algo mais estruturando a base. Nesta, que iniciou em dezembro de 2018 e vai até 2020, sentimos que o empresário tem tido uma aceitação maior em relação à metodologia, já temos resultados não só expressivos na região metropolitana de Belém, mas já sendo sentidos em Santarém e Marabá”, afirmou o coordenador.

Ao participar do programa, o empresário consegue esclarecer dúvidas como: a melhor forma de fazer o produto chegar a determinado mercado; como deve ser a negociação com o comprador internacional; como formar preço do produto para outro país; se a exportação deve ser de maneira direta ou por intermédio de comercial exportadora, dentre outras.

O atendimento do PEIEX é realizado a partir de visitas nas empresas. Na primeira, o técnico mede o potencial exportador; na segunda, é realizado um diagnóstico do negócio para identificar o nível de prontidão da empresa para a exportação. Com base nas informações levantadas, é então elaborado um plano de trabalho com a implantação de requisitos necessários à exportação.

A participação no programa é gratuita, mas para realizar a implantação de melhorias, a empresa deve estar disposta a dedicar tempo e investimento próprio para completar o processo. Ao final do atendimento, a empresa recebe um plano de exportação para orientar sua inserção no mercado internacional de maneira planejada e segura.

Mais de 20 empresas se inscreveram no PEIEX durante o primeiro mês de atendimentos, realizado em janeiro deste ano. A exemplo do Instituto My Amazon, que pretende exportar óleo de coco e de açaí pela primeira vez. “A expectativa é que a gente chegue ao mercado internacional sem surpresas. É a primeira exportação da empresa, mas já tive outras experiências não muito agradáveis, por isso temos certeza da importância desta parceria”, afirmou o presidente do Instituto My Amazon, Taizó Yamada.

Além da aderência ao programa, a empresa identificou o Parque de Ciência e Tecnologia Guamá como um parceiro estratégico para o desenvolvimento do seu negócio. “Vamos nos instalar no PCT Guamá porque acredito que esse é o melhor projeto de desenvolvimento sustentável que se tem na Amazônia. Um projeto completo, que visa a inovação tecnológica, oferece apoio na retaguarda de pesquisa e nos auxilia em todas as fases. Além de ter uma relação mais próxima com a BioTec-Amazônia [organização social residente no Parque], nossa grande parceira tecnológica produz um trabalho de articulação com instituições importantes que tem competências diferenciadas, como a Emater, Faepa, Fiepa, Senai, Sebrae, dentre outros”, complementou Taizó Yamada.

Sobre a Apex-Brasil - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. O Programa de Qualificação para Exportação é implementado em todas as regiões do país, por meio de instituições de ensino (universidades, parques tecnológicos ou Fundações de Amparo à Pesquisa) ou Federações de Indústria. São os parceiros da Apex-Brasil que aplicam a metodologia do PEIEX na qualificação das empresas.

No Pará, desde 2016 o programa é executado pela Fundação Guamá, OS responsável pela gestão do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá. Em dezembro de 2018, além da região metropolitana de Belém, o programa passou a atender as cidades de Marabá e Santarém, podendo ser estendido a um raio de até 100 km dos polos. A metodologia foi renovada, sendo direcionada mais para a prática da exportação.

Sobre o Parque de Ciência e Tecnologia Guamá - Resultante da parceria entre as Universidades Federal do Pará (UFPA) e Federal Rural da Amazônia (UFRA) e o Governo do Pará, o PCT Guamá foi o primeiro e permanece como único parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia.

Ele tem como principal objetivo, estimular a pesquisa aplicada, o empreendedorismo inovador, a prestação de serviços e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos.

Com uma área de 72 mil metros quadrados, reúne atualmente 14 centros e laboratórios tecnológicos, 22 empresas, 23 startups, instituições de pesquisa e grupos residentes, todos ligados às áreas estratégicas de atuação, que são Biotecnologia; Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); Energia; Tecnologia Ambiental e Tecnologia Mineral.

Situado entre a UFPA e a UFRA, apresenta espaços voltados para a instalação de pequenos e médios empreendimentos de base tecnológica, laboratórios e centros de pesquisa e desenvolvimento, assim como de empreendimentos nascentes (startups) e temporários.

Serviço – Agendamento de atendimento do Programa de Qualificação para Exportação, da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (PEIEX/Apex-Brasil), para empresas da região metropolitana de Belém, Marabá e Santarém: (91) 3321-8910 ou peiex.pa.geral@fundacaoguama.org.br.