Fotografia digital revela perspectiva e sensibilidade de jovens no bairro da Cabanagem

A oficina de fotografia digital inicia nesta sexta (8) e segue até o dia 14 de novembro.

08/11/2019 18h46 - Atualizada em 08/11/2019 19h09
Por Governo do Pará (SECOM)

Ao saber que a oficina de fotografia digital, promovida pelo Programa Territórios pela Paz (TerPaz), seria ministrada na escola onde é aluna, a estudante Clara Cunha, de 16 anos, avisou  imediatamente a amiga Lauanne Lima, de 15 anos, conhecida por gostar de tirar fotos dos amigos. “São oficinas que oferecem muitas oportunidades, então procuramos logo nos inscrever. Penso muito em ser fotógrafa”, diz Clara. “Também quero saber como posso me expressar mais através da iluminação e dos ângulos”, complementa Lauanne.

Ambas as estudantes são alunas do 2º ano da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio José Valente Ribeiro, no bairro da Cabanagem, um dos sete bairros atendidos pelo TerPaz na Região Metropolitana de Belém.  O Programa, coordenado pela Secretaria de Articulação da Cidadania (Seac), é uma iniciativa do Governo do Estado para o enfrentamento da violência em territórios considerados vulneráveis, por meio de ações integradas de segurança pública e da atuação em áreas como saúde, trabalho e renda, comunicação, educação e meio ambiente.

Contando com trinta alunos moradores da comunidade local, a iniciativa representa uma ação conjunta da Secretaria de Comunicação (Secom) ao TerPaz.

“Ao democratizarmos o acesso às mídias e ferramentas da comunicação social, queremos proporcionar às comunidades a oportunidade de mudar a própria realidade, seja pela orientação profissional, seja com o despertar de uma narrativa local, empoderada e pulsante”, enfatiza Vera Oliveira, titular da Secom.

Enquanto a secretária de comunicação dá as boas-vindas aos participantes, a diretora da Escola José Valente Ribeiro, Ivanilda Martins, observa a expectativa deles.  “Essa oficina é muito desejada pelos jovens. Além da identificação que têm com o ambiente digital, eles podem ser futuros empreendedores nessa área”.

Um começo – Diante dos olhares atentos dos jovens participantes, Luiz Carlos Santos, diretor de Comunicação Popular e Comunitária da Secom, diz que a fotografia é apenas o começo. “A idéia é que vocês usem todas as ferramentas de comunicação, tendo contato com teoria e prática. Isso ajuda não somente as possibilidades de emprego, mas faz com que vocês ampliem sua própria voz e representem quem vocês são para a comunidade e para fora dela”, explica Luiz, antes de passar a palavra a Maycon Nunes, ministrante da oficina.

Para o fotógrafo, a perspectiva de valorizar o próprio bairro é um dos principais atrativos do TerPaz. “É muito bom você notar a beleza da sua vizinhança. O olhar fotográfico permite que você tenha mais sensibilidade para as riquezas de imagens e histórias da periferia. Isso constrói identidades, desenvolve interações e fortalece o próprio valor diante de tantas interpretações que outras pessoas possam ter”, destaca Maycon.  Diante dessa visão, a estudante Clara Cunha percebe que a fotografia não a atrai somente como possível emprego. “Fazer as pessoas felizes com as minhas fotos, vai me deixar feliz também. Acho que isso ajuda tudo o que vem depois”, conclui.

Serviço: a oficina de fotografia digital, promovida pelo Programa Territórios pela Paz, ocorre de 8 a 14 de novembro na Escola Estadual José Valente Ribeiro, no bairro da Cabanagem, em Belém. Todas as vagas da oficina já estão preenchidas.