Igeprev fortalece debate sobre Controle Interno e Transparência no Setor Público

10/09/2019 17h54 - Atualizada em 10/09/2019 18h44
Por Rodolfo Souza (IGEPREV)

Leila Márcia Elias falou sobre sua experiência profissional para quase 100 servidores públicosCerca de 100 servidores de órgãos municipais e estaduais participaram, nesta terça-feira (10), da palestra sobre o tema "O Controle Interno e a Transparência no Setor Público", no auditório do Instituto de Gestão Previdenciária do Pará (Igeprev). A professora, contadora e doutora em Desenvolvimento Socioambiental, Leila Márcia Elias, falou sobre sua experiência profissional na área. “Hoje, o Controle Interno é responsabilidade de todas as pessoas que fazem parte do órgão. Nós temos que desmistificar essa ideia de que o Controle prejudica as pessoas. Não é uma caça às bruxas. Isso não é verdade”, ressaltou Leila Elias.

Segundo a profissional, o Controle Interno é um tema transversal, que alcança todos os setores. “É um tema importante não só para as unidades administrativas, mas também para os gestores e usuários da administração pública”, afirmou. A professora ainda fez questão de destacar que o Controle Interno visa evitar erros e falhas, assim como possíveis irregularidades. “Esse trabalho combate a fraude e a corrupção na administração pública”, sintetizou.

O presidente do Igeprev, Silvio Vizeu, reforçou que o Controle Interno dá conformidade e segurança à gestão públicaO presidente do Igeprev, Silvio Vizeu, acompanhou a palestra e reforçou que o Controle Interno dá conformidade e segurança para atos e processos tramitados. “Na verdade, é uma ação preventiva para evitar falhas. Se a gente fortalecer esse caráter preventivo, com certeza não vamos corrigir falhas no futuro”, frisou o gestor.

Transparência – Servidor público há 21 anos da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), o coordenador do Sistema Financeiro Estadual, Wagner Capelli, aprovou o evento. “O Controle Interno e a Transparência são primordiais para a gestão pública, e mostram o interesse do Estado em aperfeiçoar essas duas ferramentas”, declarou Wagner Capelli.

Para o coordenador, o Controle Interno, apesar de ser normativo, tem um ato que representa as boas práticas de gestão, e a transparência é o resultado dessa boa prática. “Essa divulgação faz com que o servidor entenda que ele não está sozinho dentro do seu órgão. Por isso, ele tem que entender que o trabalho que desenvolve retorna para a sociedade via transparência”, concluiu.  

A palestra reuniu representantes de 29 órgãos: Igeprev; Sefa; Sead (Secretaria de Estado de Administração); NGTM (Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano); Sespa (Secretaria de Estado de Saúde Pública); Hospital Ophir Loyola; Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará; Detran (Departamento de Trânsito do Estado); Seplan (Secretaria de Estado de Planejamento); Sectet (Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica); Sedeme (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia); PGE (Procuradoria-Geral do Estado); Segup (Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social); Polícia Militar; Codec (Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará); Fundação Carlos Gomes; Setur (Secretaria de Estado de Turismo); Setran (Secretaria de Estado de Transportes); Ceasa (Centrais de Abastecimento do Pará); Casa Civil da Governadoria; Vice-Governadoria; Sesma (Secretaria Municipal de Saúde de Belém); Semob (Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana); Belemtur (Companhia de Turismo de Belém); OAB-PA (Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Pará) e CDP (Companhia Docas do Pará), além de representantes da Prefeitura Municipal de Cachoeira do Piriá (no nordeste paraense) e das Câmaras Municipais de Muaná (no Arquipélago do Marajó) e Castanhal (no nordeste).