Há 10 anos, Classe Hospitalar na Santa Casa garante o ano letivo de pacientes

09/09/2019 15h41 - Atualizada em 09/09/2019 18h26
Por Helder Ribeiro (SANTA CASA)

"Levamos todos os dias a educação pública aos paciente da hemodiálise e das enfermarias, chegando a atender mais de 50 alunos por mês. Estamos há dez anos desenvolvendo esse trabalho aqui na Santa Casa, e isso é importante para que os alunos não percam o interesse pelo estudo e nem o ano letivo”, informa a professora Rosiane Alcântara, ao destacar a importância da Classe Hospitalar para a manutenção da rotina escolar de crianças e adolescentes que precisam da internação para tratamento de doenças.

A Classe Hospitalar garante o ensino para crianças e adolescentesReferência do Programa Classe Hospitalar na Santa Casa, Rosiane Alcântara desenvolve esse trabalho junto com as professoras Silvana Almeida, Gisele Santana, Bernadete Ribeiro e Claudiene Beckman, sob a coordenação da professora Fernanda Borges. Todas se empenham para cumprir a matriz curricular da Seduc (Secretaria de Estado de Educação).

O Programa Classe Hospitalar foi implantado pelo Governo do Pará há 16 anos, e funciona por meio de um convênio entre a Seduc, hospitais da rede pública e entidades, permitindo aos pacientes a manutenção das atividades escolares e a garantia do ano letivo.

As atividades também ajudam na recuperação dos pacientesAprovação - Elisandra Correa Botelho, mãe de uma adolescente de 15 anos, moradora do bairro da Cremação, em Belém, há um ano e sete meses acompanha a filha nas sessões de hemodiálise na Santa Casa. Ela ressalta a importância da Classe Hospitalar no tratamento da adolescente e o atendimento oferecido pelos profissionais da instituição. “Desde quando a minha filha veio fazer tratamento aqui fomos muito bem acolhidos por todos. Os profissionais são muito humanizados e dedicados, e interagem com todas as crianças da mesma forma. Para mim, é gratificante, pois é só aqui que a minha filha pode fazer esse tratamento, e o importante desse programa é que além de não perder o ano escolar, essas atividades ajudam ela a se distrair durante as quatro horas de hemodiálise”, conta Elisandra Botelho.Pacientes internados aprovam o atendimento na Classe Hospitalar da Santa Casa

Natural de Macapá (AP), Oscarina Barbosa, mãe de um menino de 11 anos, mora em Barcarena há sete anos. Com o filho internado há quatro meses na Santa Casa para tratamento de osteomielite (inflamação óssea), ela diz que o Programa Classe Hospitalar permite ao menino continuar estudando enquanto faz o tratamento. “Meu filho nasceu com uma malformação congênita chamada mielomeningocele, e devido a sua pisada errada evoluiu para uma osteomielite. Desde o dia 5 de maio ele está internado aqui na Santa Casa, já fez a primeira cirurgia e, há dois meses, fez a cirurgia plástica, que graças a Deus cicatrizou como o médico queria. Durante esses quatro meses não tenho do que reclamar, o atendimento é excelente, desde os médicos que fizeram a cirurgia até os técnicos. Todos nos tratam muito bem. gostando muito, principalmente desse programa com as pedagogas aqui dentro, pois já faz quatro meses que ele não vai à escola”, acrescenta Oscarina Barbosa.

Hospitais do Pará que mantêm o Programa Classe Hospitalar

- Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência

- Hospital Universitário João de Barros Barreto

- Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo

- Hospital de Clínicas Gaspar Vianna

- Santa Casa de Misericórdia do Pará

- Casa de Apoio Espaço Acolher

- Abrigo João Paulo II 

Serviço: Contatos do Programa Classe Hospitalar - Telefone: (91) 3223-5596. E-mail: classehospitalarfscmpa2009@gmail.com