Hospital Santa Rosa, em Abaetetuba, deve ser entregue em novembro

14/08/2019 16h57 - Atualizada em 14/08/2019 19h38
Por Mozart Lira (SESPA)

Com recursos do Tesouro estadual, o Governo do Pará assumiu as obras de reforma e ampliação do Hospital Santa Rosa, no município de Abaetetuba, que deve atender também usuários de Cametá, Moju, Igarapé-Miri, Baião, Mocajuba, Barcarena, Oeiras do Pará e Limoeiro do Ajuru, se tornando uma referência na região do Baixo Tocantins.

O hospital ocupa uma área de 5.878 m², que abriga oito blocos, com 97 leitos (72 operacionais, 10 de UTI adulto e 10 de Unidade de Cuidados Intermediários - UCI neonatal), e mais cinco salas para pré-parto, parto e pós-parto.

O "Santa Rosa" será um hospital de média e alta complexidade, dispondo de unidade de urgência e emergência com reanimação, leitos de estabilização, um consultório de classificação de risco, um consultório de clínica geral, um consultório de serviço social e um consultório de enfermagem. Os serviços de diagnóstico e tratamento serão realizados em laboratório de análises clínicas, métodos gráficos, raio-X; ultrassonografia com doppler, mamografia e ecocardiograma.

O governador Helder Barbalho durante a visita às obras do hospital em janeiro deste anoAuditoria - O governador Helder Barbalho visitou as obras do hospital no dia 09 de janeiro de 2019. Na ocasião, anunciou que o governo estadual faria uma auditoria e uma análise da aplicação da obra, visto que mais de R$ 35 milhões de recursos públicos foram utilizados na reforma.

Durante a visita técnica, foi constatado que o prédio apresentava inúmeros problemas, como infiltrações e vazamentos, ocasionados por erros no projeto, que impediam o funcionamento da unidade de saúde pública.

A construtora responsável pelas obras retirou, no dia 17 de maio, o poste que havia sido deixado no bloco 1, dentro do prédio, onde fica o vestiário masculino. No mesmo mês, a retomada dos serviços foi viabilizada após acordo firmado entre a Sanecon, empresa responsável pelo projeto, e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras públicas (Sedop), intermediado pela Auditoria-Geral do Estado (AGE). Em julho, durante vistoria na unidade, técnicos da AGE comprovaram que todas as pendências haviam sido sanadas. 

"A conclusão do hospital é um grande exemplo de como a conciliação resulta em benefício para a  sociedade. Aos poucos, vamos transformando  prejuízos em ações e serviços”, disse o auditor-geral do Pará, Giussepp Mendes. Ainda segundo o titular da AGE, “o trabalho da auditoria vai além da fiscalização. O objetivo não é apenas devolver ativos ao Estado, mas garantir a melhor aplicação do recurso público". 

Apos ver o andamento das obras, o governo do Estado assumiu a conclusão do projetoHoje, o "Santa Rosa" está com 98% do projeto concluídos, e os equipamentos estão sob apreciação da Gerência de Compras da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), em processo de licitação ainda a ser recebido pela Comissão Permanente de Licitação (CPL), que deve adotar a adesão à ata de registro de preços – modalidade que pode acelerar a compra em um prazo de 60 dias. O hospital, totalmente equipado, deve ser entregue à população já em novembro de 2019.