Sedeme e Banpará formatam Agenda de Desenvolvimento para Emprego e Renda no Pará

08/08/2019 09h27 - Atualizada em 08/08/2019 11h11
Por Valéria Nascimento (SEDEME)

Prefeitos, vice-prefeitos, presidentes de câmaras de vereadores, secretários municipais, empresários, comerciantes e dirigentes de entidades de classe do setor produtivo paraense estão no radar do programa Parcerias pelo Pará, uma Agenda de Desenvolvimento para Emprego e Renda, que está sendo criada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia do Pará (Sedeme) e o Banco do Estado (Banpará) para fomentar o crescimento econômico estadual. Nessas terça-feira (6) e quarta-feira (7), respectivamente, a proposta foi apresentada para lideranças de entidades de classe e de associações de municípios, consideradas importantes à viabilidade das iniciativas pensadas pelos órgãos estaduais.

“A integração em uma ação como essa é fundamental, por isso essa busca de aproximação para trabalharmos na mesma direção’’, frisou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico do Pará, Iran Lima, coordenador geral da proposição governamental. A ideia é reunir esforços e buscar parcerias, observou ele, para então caminhar em direção ao desenvolvimento econômico, social e cultural.

Em dois dias de rodadas de encontros na sede da Sedeme, em Belém, a "Agenda" apresentada recebeu sugestões do presidente da Associação Comercial do Pará (ACP), Clóvis Carneiro e do secretário da Federação das Associações de Municípios do Estado do Pará (Famep), também coordenador do Núcleo de Relações com Municípios da Casa Civil do Governo do Pará (Nurmec), Josenir Gonçalves Nascimento, entre outras lideranças representativas.

Participaram das reuniões, esta semana, por exemplo, dirigentes dos Conselhos Regionais de Administração e Contabilidade bem como das Associações Municipais do Araguaia/Tocantins (Amat Carajás);  das Rodovias Transamazônica, Santarém-Cuiabá e Região Oeste do Pará (Amut); da Calha Norte (Amucan) e ainda do Consórcio Integrados dos Municípios (Coimp).

“Estamos socializando o projeto da Agenda para o Desenvolvimento para estreitarmos a interação com a classe empresarial e as entidades que têm grande capilaridade no território paraense, conhecem e podem contribuir com a identificação dos gargalos e, claro, com os encaminhamentos para superação deles’’, afirmou o titular da Diretoria de Desenvolvimento da Indústria, Comércio e Serviço (DDICS), da Sedeme, Francisco Pantoja, que junto com os técnicos Mauro Barbalho e Célia dos Anjos, está na condução da proposta junto à sociedade civil organizada e o setor produtivo.

O cerne da Agenda para o Desenvolvimento de Emprego e Renda é atuar localmente conforme a vocação e necessidade dos municípios. O Governo do Estado, pontuou Francisco Pantoja, quer dar respostas rápidas às cadeias econômicas, facilitar o ambiente de crescimento dos negócios a partir de uma atuação desburocratizada da máquina pública, com foco no conhecimento da realidade local e das demandas da população. “Nossa proposta não é estática, será articulada com a sociedade local e seguirá em construção coletiva’’, comentou o economista Mauro Barbalho.

Conheça mais sobre a "Agenda"

O projeto Agenda de Desenvolvimento para Emprego e Renda trata de parcerias com o poder público municipal, setores produtivos, empresas e entidades representativas a fim de disponibilizar o acesso a crédito, capacitação, formalização e orientações técnicas. Além disso, apoiar o município na implantação de políticas públicas de desenvolvimento e empreendedorismo. Outro ponto essencial do projeto é promover um ambiente de cooperação e gestão entre o governo estadual e os municípios.   

O cronograma da iniciativa está sendo estudado mas já se tem por certo levar a ‘’Agenda’’ para as 12 regiões de Integração do Pará. Na prática, a proposta será executada por meio de atendimentos diretos e palestras técnicas, a partir de eixos como Crédito, Incentivos Fiscais, Arranjos Produtivos Locais (APLs), Cadastro Estadual dos Recursos Minerais (CERM), Acesso a Mercado e Compras Públicas, RedeSim (gestores municipais) e Capacitação.