TerPaz promove formação de agentes ambientais para moradores da Cabanagem

06/08/2019 17h27 - Atualizada em 06/08/2019 18h16
Por Ronan Frias (SEMAS)

Uma oficina de formação de agentes ambientais está sendo ministrada para moradores do bairro Cabanagem, em Belém desde esta terça-feira (06), até a próxima sexta-feira (09), por técnicos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), na Escola Professora Santana Marques, no conjunto Panorama XXI. A atividade integra a participação da Secretaria no Programa Territórios pela Paz (TerPaz), criado pelo Governo do Pará com o objetivo de reduzir a violência, com ações preventivas e repressivas de segurança pública, aliadas a iniciativas na área social, em sete bairros da Região Metropolitana de Belém (RMB). Na semana passada, a Semas realizou uma oficina de compostagem também para moradores da Cabanagem.

A oficina reúne moradores do bairro, que serão agentes multiplicadoresLíderes comunitários e moradores - 44 inscritos - participam da oficina, que formará multiplicadores do aprendizado, que busca soluções para problemas ambientais locais. As ações também envolverão estudantes da Cabanagem e de outros seis bairros: Icuí, no município de Ananindeua, ainda no mês de agosto; Nova União, em Marituba (em setembro), e em Belém, no Benguí (outubro), Terra Firme e Guamá (novembro) e Jurunas (dezembro).

Walber Paula, diretor de Ordenamento, Educação e Descentralização Ambiental, ressaltou o compromisso da Semas com o programa. "O TerPaz é permanente, e a Semas, junto a outros órgãos estaduais, está levando serviços contínuos em várias frentes, envolvendo comunidades e o público estudantil", informou.

A integrante da Associação dos Moradores da Cabanagem, Isabelle Coelho, residente na Rua São Pedro, destacou o desejo da comunidade de aprender a descartar corretamente os resíduos. "A comunidade não tem o costume de separar o lixo. Esse curso e o de compostagem orientam essas questões, e já estamos pensando em criar uma organização em parceria com uma cooperativa, para reciclar e reutilizar o lixo, com geração de renda", disse Isabelle, acrescentando que "também já fizemos composteiras com baldes em nossas casas, para adubar os quintais e jardins".

Suste - Moradora há 22 anos da Cabanagem, a manicure Regina Peniche considera que, a partir do momento que a população souber que lixo é dinheiro, vai reciclar. "As garrafas pets mal acondicionadas e espalhadas entopem os escoamentos e causam transtornos nas comunidades, com alagamentos. Separando para reciclar, vamos evitar problemas e ganhar dinheiro, claro", reiterou.

O cientista ambiental Rafael Sereni abordou, em sua palestra, assuntos como desmatamento, queima de combustível, derramamento de óleo e outros problemas ambientais que destroem os ecossistemas. "O importante é a interação entre os participantes, que está muito boa, para que eles facilitem a solução dos problemas ambientais que identificam como comum a todos", ressaltou.

Andreia Monteiro, coordenadora de Educação Ambiental da Semas, orientou sobre a formação de agentes ambientais, para que membros da comunidade adquiram conhecimentos que contribuam para melhoria do meio ambiente e da vida das pessoas. A gerente de Programas e de Projetos, Edira Vidal, disse que "essa oficina é uma semente para ser semeada na comunidade e resolver as dificuldades ambientais identificadas". A assistente social Thalita Andrade e o pedagogo Marcelo Farias, completam a equipe da Semas que atua na Cabanagem.