Ações do Estado contribuem com saldo positivo de empregos no Pará

25/07/2019 17h01 - Atualizada em 26/07/2019 10h44
Por Governo do Pará (SECOM)

O Pará apresentou, pelo segundo mês consecutivo, um saldo positivo na geração de empregos, com destaque para o setor da construção civil, que abriu 1.777 vagas. Segundo o Ministério do Trabalho, foram 825 novos empregos formais de 930 registrados na região Norte do Brasil – 21.514 admissões e 20.690 desligamentos. Esse resultado é fruto de uma mobilização do governo para reduzir o déficit de desemprego no Estado, como o Plano Estadual de Emprego.

A primeira reunião para discutir a política foi realizada no dia 1º de julho, quando o governador Helder Barbalho convocou todos os secretários de Estado, gestores de administração indireta e de economia mista, assim como parlamentares da Assembleia Legislativa, para estudar a situação e ajudar a criar o Plano.

Todos os órgãos foram convocados a trabalhar em ações imediatas, com o intuito de reduzir, em curto prazo, ao menos 20% do montante do déficit do desemprego acumulado desde 2018. O governo deu o prazo de 30 dias para a apresentação das propostas.

As ações oferecidas pelo programa Territórios Pela Paz, que conta com o auxílio da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seater), também fazem parte da estratégia do governo de melhorar a geração de emprego e renda no Pará.

Por meio do cadastro no banco de dados do Sistema Nacional de Emprego (Sine), a mão de obra recebe intermediação do TerPaz, com o objetivo de encaminhar jovens e adultos para o mercado de trabalho, para que, posteriormente, o Sine possa realizar todo o processo de captação e recrutamento dos candidatos, de acordo com a disponibilidade de vagas nas empresas.

Contratações para as obras da Nova BR, que deve chegar a mais de mil pessoas, impulsionam geração de empregos em BelémAs obras na Nova BR também impulsionam a geração de emprego na capital. No início deste mês, cerca de 50 profissionais, incluindo oito universitários, foram contratados para atuar em diversas áreas nas obras da Nova BR. A maioria é formada por mulheres e estudantes do curso de engenharia civil, que vão trabalhar nas frentes de trabalho de Construção Civil, Produção, Administração e Segurança do Trabalho. Serão 30 dias, com entrega de certificados, além de uma bolsa de custo durante o período do contrato.

A expectativa é que já no próximo mês de agosto, cerca de 100 profissionais de nível superior que moram na região metropolitana de Belém também reforcem o time da Nova BR. O anúncio foi feito pelo diretor do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), Eduardo Ribeiro, durante reunião com o governador Helder Barbalho no dia 12 de julho, no Palácio do Governo. "Essa obra no seu pico vai ficar com 1.300 pessoas trabalhando e esperamos também avançar na fase de contratação de mão-de-obra qualificada", afirma Ribeiro.

Plano Estadual – Segundo pesquisa do Departamento de Intersindical de Estudo Socioeconômico (Dieese/Pará), 440 mil paraenses estão desempregados e 1,2 milhão estão atuando na informalidade. Os dados preocupam o Governo, que também deseja associar a política de geração de emprego ao sucesso do programa TerPaz, lançado recentemente como ferramenta de gestão para auxiliar as pessoas que estão em condições de vulnerabilidade social.

A medida do governo do Pará é uma agenda positiva, obedecendo às vocações econômicas e as especificidades regionais. Para o governador, o Estado não pode ficar totalmente a reboque do plano nacional e deve criar seus próprios meios de enfrentar o problema do desemprego a partir de ações internas e mudanças de comportamento na área da gestão.