Apoio técnico da Emater melhora produção do limão Taiti

19/07/2019 13h55 - Atualizada em 19/07/2019 15h12
Por Rodrigo Reis (EMATER)

Há sete anos, produtores do limão Taiti de Monte Alegre, na região Oeste, contam com o apoio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) para melhorar a produção e distribuição do fruto, que é um dos principais produtos da economia local. A produção é exportada, principalmente, para os estados do Amazonas e Amapá, além da capital, Belém. O município é, hoje, o maior produtor do Pará.

Na opinião do chefe local da Emater em Monte Alegre, Egnaldo Garcia, as ações aplicadas, ao longo dos anos, contribuem para uma produção de maior qualidade. "A Emater é referência em todo o Pará, e os produtores confiam e nos procuram porque sabem que terão esse apoio". E completa: "através de nossa parceria, identificamos a melhoria nas condições de vida dos produtores, já que introduzimos novas tecnologias de produção", comentou.

No apoio à cultura do limão, o escritório regional Médio Amazonas e local de Monte Alegre da Emater trabalha uma série de ações junto aos produtores, entre elas, a realização de "dia de campo"; palestras e seminários, orientação técnica (sobre pragas, doenças e adubação) e também a prospecção de novos mercados. A equipe da Emater que auxilia os produtores é composta por 10 técnicos em agropecuária, sendo dois com formação em gestão ambiental.

De acordo com o último levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2017, o Pará é o segundo maior produtor de limão do Brasil, perdendo apenas para São Paulo. Segundo Alain Xavier, supervisor regional do Médio Amazonas, em Monte Alegre, a Emater assiste cerca de 700 produtores de limão, que, somados, ultrapassam 2,9 mil hectares, correspondendo a um total de 800 mil pés de limão plantados e uma produção de 96 mil toneladas por ano.

Ainda de acordo com Alain, as expectativas são as melhores. "A nossa missão é fazer parcerias para atrair investimentos para o setor e verticalizar a produção, a fim de transformar a cultura do limão em fonte geradora de riqueza", explicou.

Levantamento - A Emater iniciou em junho deste ano, através do escritório local de Monte Alegre, a atualização de informações sobre cultivo de limão Taiti na região. O objetivo da consulta é levantar toda a potencialidade na exploração do fruto, como produção, número de produtores, área plantada, renda obtida e os impactos econômico e social. Os primeiros dados consolidados mostram que, do primeiro levantamento realizado entre os anos de 2013 e 2014, houve um acréscimo superior a 100% em termos de área plantada, consolidando a cultura como a segunda maior economia do município, atrás apenas da pecuária.