Doação de sangue mobiliza mais de 100 voluntários no Hospital Oncológico Infantil

18/07/2019 18h19 - Atualizada em 18/07/2019 18h30
Por Marcelo Leite (HOIOL)

O amor ao próximo foi um dos sentimentos que levou o cozinheiro Wesley Pereira, 39, a transformar o dia de folga do trabalho em um ato de solidariedade para salvar vidas. Ele foi um dos 100 doadores voluntários que participaram da 5ª Campanha de Doação de Sangue e Cadastro de Medula Óssea, promovida pelo Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, nesta quinta-feira (18), em parceria com a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa).

Com o tema "Doe sangue. Quando você doa, a brincadeira continua", a campanha teve como objetivo abastecer os estoques de sangue do Hemopa neste mês de julho, quando há uma queda de 30% no número de doadores, em função do período de férias. "O que move o trabalho do Hemopa é a doação. Então todo parceiro que se disponibilize a ajudar em ações como essa, é importante para nós, principalmente nesses meses de redução no número doadores", explica a assistente social do Hemopa, Nilvete Smith.

Além de contribuir para uma segurança no fornecimento de sangue ao Hospital, a campanha buscou também captar novos doadores, como o próprio Wesley. "Essa foi primeira vez que doei sangue. Sempre tive vontade, mas ainda não tinha dado certo. Senti que hoje era o dia e eu resolvi participar porque essas crianças precisam", conta o voluntário, que ainda conheceu alguns pacientes em tratamento e agora pretende ser um doador frequente. "Sempre que tiver oportunidade vou doar. Hoje são eles que precisam, mas amanhã pode ser outra pessoa", complementa.

Atualmente, o Hospital Oncológico Infantil realizada cerca de 400 transfusões sanguíneas por mês. Referência para o diagnóstico e tratamento especializado do câncer em crianças e adolescentes no Pará, a unidade tem nas doações de sangue uma forma de manter a saúde das crianças. "O tratamento requer o uso de quimioterapias fortes o que reduz a defesa no organismo delas. Por isso, as transfusões sanguíneas são frequentes e o banco de sangue precisa estar sempre abastecido. Daí a importância das doações", explica a enfermeira Sâmia Medeiros, da Agência Transfusional do Hospital Oncológico Infantil.