Projetos de inclusão social recebem destaque no Rio Grande do Sul

02/07/2019 14h58 - Atualizada em 02/07/2019 15h48
Por Nailana Thiely (UEPA)

Ações foram desenvolvidas nos bairros da Cidade Velha e Pedreira, em BelémDuas ações de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas pela Universidade do Estado do Pará (Uepa), através do Programa Trilhas Culturais e Juventude na Amazônia, participaram do IX Salão Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão (Siepex), da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS). Realizado entre os dias 26 e 28 de junho, em Porto Alegre, o evento registrou mais de 1,2 mil inscritos, entre estudantes, professores e funcionários do quadro técnico de instituições de ensino.

O tema desta edição do Siepex foi "Novas tendências de educação, economia criativa e sustentabilidade". A lista com os destaques do evento pode ser acessada pelo link: https://uergs.edu.br/9-siepex-e-encerrado-com-mais-de-50-trabalhos-premiados

O trabalho "Cine Trilhas Culturais da Amazônia" foi um dos 17 nacionais destacados por uma banca especial do IX Siepex. Originado das práticas de extensão do Núcleo de Estudos e Extensão Trilhas Investigativas e Práticas Sociais, da Uepa, tem o intuito de construir valores, habilidades e competências de jovens como sujeitos, em busca de seus direitos, autonomia e cidadania. O projeto é desenvolvido no bairro da Cidade Velha, em parceria com o Oratório São Domingos Sávio, do Colégio Salesiano Nossa Senhora do Carmo e adjacências.

Acadêmicos e professoras do Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE), da Uepa, durante a participação em Porto Alegre
A proposta envolve práticas pedagógicas artísticas e culturais, com exibição de filmes e curtas-metragens que possuam conteúdo regional educacional e que proporcionem momentos de reflexão e diálogo entre os participantes. O projeto foi submetido por acadêmicas e professoras do Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE), Rahyane Moraes Teixeira, Adriana Pamplona da Silva, Luiza Siqueira Brito, Fátima Vera Figueiredo e Ana Telma Sousa, e atende, sobretudo, crianças e adolescentes da Ladeira do Carmo.

O segundo projeto participante do Salão da UERGS relatou as experiências parciais vivenciadas na oficina de violão do Programa Trilhas Culturais e Juventude na Amazônia, desenvolvido na Escola Estadual Maroja Neto, no bairro da Pedreira, em Belém, onde o ensino de música é aplicado como ferramenta de inclusão social e meio de fomento da criatividade, interação e coletividade para jovens. O trabalho foi submetido por Daniel Silva, Fátima Vera Figueiredo e Ana Telma Sousa.

Para a coordenadora do Núcleo de Estudos e Extensão Trilhas Investigativas e Práticas Sociais (Netrilhas), professora doutora Ana Telma Sousa, a notoriedade recebida no evento representa a projeção nacional da Uepa através de um trabalho coletivo. "Esta proeminência dada pela banca é o reconhecimento de uma ação para garantia de direitos de crianças e adolescentes em vulnerabilidade social no município de Belém. O núcleo atualmente desenvolve práticas de extensão nos bairros do Jurunas, Pedreira, Reduto e Cidade Velha. É uma enorme honra para o Netrilhas este destaque", afirmou.

Reconhecimento Nacional – O Netrilhas da Uepa atua desde 2011 e tem como princípios-chave práticas pedagógicas interdisciplinares que desenvolvam a cidadania e a inclusão social, através de uma ação-reflexão, com produção científica e acadêmica junto à comunidades em vulnerabilidade social do município de Belém. No ano de sua criação, recebeu o prêmio Betinho Atitude Cidadã, oferecido pela Coep - Rede Nacional de Mobilização Social.

As ações do Netrilhas são reconhecidas pelo Observatório Nacional de Práticas dos Direitos da Criança e Adolescente e objetivam promover a identificação de direitos e deveres dos jovens na construção de conceitos e práticas, melhorando a autoestima e a construção de valores significativos na vida em sociedade.